Publicidade

31 dias após início das aulas, uniformes serão distribuídos a partir de segunda

Peças começaram a chegar nesta sexta

Após os pais de alunos da Reme (Rede municipal de ensino) da Capital passarem aperto, sem os kits escolares, a Prefeitura declarou que os uniformes começaram a chegar nesta sexta-feira (24). A primeira remessa tem 48.612 camisetas manga curta e 3.798 bermudas.

Conforme a administração municipal, ao menos 8 mil pares de tênis serão entregues amanhã (25). “Até o final da próxima semana, todos os artigos estarão em Campo Grande”, declarou a Prefeitura.

No momento, equipes da Semed (Secretaria municipal de educação) organizam o material para começar a distribuição na segunda-feira (27). A assessoria de imprensa da Prefeitura afirma que a rota da entrega também é estudada, quem irá receber primeiro são os Ceinfs (Centros de educação infantil).

“Após um grande esforço, estamos entregando os uniformes 31 dias depois do início das aulas. Tudo produzido em indústria brasileira”, comentou o prefeito Marquinhos Trad.

A Prefeitura destaca que, este ano, a novidade são as peças de inverno, como “calça e camiseta de manga longa”, que chegam na Capital até o final da próxima semana. “A secretária Ilza Mateus acredita que em 20 dias a entrega será concluída nas unidades escolares”, informou.

Ano letivo

A compra dos uniformes escolares da Reme irá custar R$ 7,8 milhões à Prefeitura de Campo Grande, segundo publicação do Diogrande desta segunda-feira (20).

A aquisição dos uniformes foi feita por meio da adesão da Prefeitura a uma ata de registro de São Paulo, Capital. A fornecedora, Reverson Ferraz da Silva, tem sede em Cerquilho, interior de São Paulo. A Prefeitura recebeu a autorização para adquirir da empresa em fevereiro deste ano, mas o extrato de adesão à licitação paulista só foi publicado nesta segunda-feira.

O ano letivo nas escolas, no entanto, começou no dia 6 de fevereiro com alunos reaproveitando o material escolar e com uniformes antigos. Na Escola Municipal Padre Tomas Giraderli, no Bairro Dom Antônio Barbosa, os pais relataram dificuldade em adquirir o material escolar, principalmente, para quem tem mais de um filho em idade escolar.

 A prática mais recorrente, foi reutilizar o velho ou comprar um único caderno pequeno para ‘segurar as pontas’, até a Prefeitura destravar a licitação para compra dos kits. Com relação aos uniformes, os pais afirmaram que a situação é mais tranquila, pois, ainda podem ser utilizados os velhos, mas cadernos, lápis e borrachas é mais complicado.

Mais notícias