Brasil

Você sabia? 14 doenças que garantem salários de R$ 1,1 mil no INSS sem contribuição

O BPC (Benefício de Prestação Continuada), por ser um serviço de assistência social, não exige que as pessoas contribuam com o INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) para receber o benefício. O que poucos sabem, é que existem 14 doenças que também não exigem  carência, confira quais são elas: Tuberculose ativa; Hanseníase; Alienação mental; Neoplasia […]

Gabriel Neves Publicado em 07/03/2021, às 15h40

Imagem ilustrativa. (Foto: Reprodução)
Imagem ilustrativa. (Foto: Reprodução) - Imagem ilustrativa. (Foto: Reprodução)

O BPC (Benefício de Prestação Continuada), por ser um serviço de assistência social, não exige que as pessoas contribuam com o INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) para receber o benefício.

O que poucos sabem, é que existem 14 doenças que também não exigem  carência, confira quais são elas:

  • Tuberculose ativa;
  • Hanseníase;
  • Alienação mental;
  • Neoplasia maligna;
  • Cegueira;
  • Paralisia irreversível e incapacitante;
  • Cardiopatia grave;
  • Mal de Parkinson;
  • Espondiloartrose anquilosante;
  • Nefropatia grave;
  • Estado avançado da doença de Paget (osteíte deformante);
  • Síndrome da Imunodeficiência Adquirida — AIDS;
  • Contaminação por radiação com base em conclusão da medicina especializada;
  • Hepatopatia grave.

O que é o BPC?

O BPC é pago para as pessoas de baixa renda e pode ser solicitado em uma das agências do INSS, ou por meio do aplicativo Meu INSS.Neste ano o valor será de R$1.100, por conta do ajuste feito pelo governo.

Quais os requisitos necessários para solicitar o BPC?

Para os idosos, é necessário ter 65 anos, uma renda familiar inferior a 1/4 do salário mínimo por pessoa, ou seja, de R$261,25.

Além disso, o beneficiário não pode receber outro benefício de Seguridade Social ou de outro regime, inclusive o seguro-desemprego.

Já para as pessoas com deficiência é necessário estar impossibilitado de participar de alguma forma ativa na sociedade, e em igualdade de condições com as demais pessoas.

Os beneficiários precisam passar por perícia para comprovar a sua situação. Além disso, é necessário ter uma renda mínima por pessoa da família de 25% do salário mínimo, ou seja, R$ 261,25 por indivíduo da casa.

*Matéria realizada com informações do portal Terra.

Jornal Midiamax