Brasil

Twitter vai desativar contas que compartilharem notícias falsas sobre Covid-19

A partir desta segunda-feira (1º), o Twitter irá bloquear permanentemente contas que publicarem notícias falsas sobre Covid-19. A penalização será aplicada para usuários que cometeram a infração das políticas de informações falsas da rede social por cinco vezes. Assim, conforme o usuário compartilha algo falso sobre a doença, as penalizações vão sendo aplicadas. Ou seja, […]

Dândara Genelhú Publicado em 01/03/2021, às 18h38

(Foto: Ilustrativa)
(Foto: Ilustrativa) - (Foto: Ilustrativa)

A partir desta segunda-feira (1º), o Twitter irá bloquear permanentemente contas que publicarem notícias falsas sobre Covid-19. A penalização será aplicada para usuários que cometeram a infração das políticas de informações falsas da rede social por cinco vezes.

Assim, conforme o usuário compartilha algo falso sobre a doença, as penalizações vão sendo aplicadas. Ou seja, as punições aumentam conforme a quantidade de infrações.

Então, quem compartilhar notícias falsas sobre a Covid-19 será notificado. A mensagem irá ser de aviso ou solicitação de remoção de uma publicação, que poderá “resultar em uma aplicação adicional de medidas na conta”, explicou a rede social.

Então, as penalizações definidas são:

  • Uma violação: Não será realizada nenhuma ação na conta (apenas a marcação do tuíte)
  • Duas violações: 12 horas de bloqueio
  • Três violações: 12 horas de bloqueio
  • Quatro violações: 7 dias de bloqueio
  • Cinco ou mais violações: Suspensão permanente

De acordo com o G1, a rede social atualizou em dezembro as regras de desinformação sobre a pandemia, principalmente para remover informações falsas sobre a vacinação. Assim, o Twitter disse que a prioridade de remoção seriam “informações enganosas que pudessem causar dano”.

Então, as publicações que fossem potencialmente enganosas receberiam apenas um selo apontando para uma página com dados oficiais. Este tipo de alerta já foi adicionado em posts da conta oficial do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Jornal Midiamax