Brasil

É fake: vídeo divulgado como desobediência civil à restrições da pandemia é de 2012

Circulam pelas redes sociais desde o final de semana imagens de uma briga generalizada no posto 9 da praia de Ipanema, no Rio de Janeiro, como se fossem em desobediência civil aos decretos de restrições em decorrência do avanço da pandemia do coronavírus no Brasil. No entanto, as imagens tratam-se de uma briga generalizada em […]

Da Redação Publicado em 29/03/2021, às 12h10

Imagens são de 2012
Imagens são de 2012 - Imagens são de 2012

Circulam pelas redes sociais desde o final de semana imagens de uma briga generalizada no posto 9 da praia de Ipanema, no Rio de Janeiro, como se fossem em desobediência civil aos decretos de restrições em decorrência do avanço da pandemia do coronavírus no Brasil. No entanto, as imagens tratam-se de uma briga generalizada em 2012 no local por causa do ‘altinho’.

Nas redes, as imagens circulam com a legenda:  ‘Rio de Janeiro 26 de março de 2021. Expulsão da praia de fiscais da prefeitura, marca o início da desobediência civil’, mas não retratam a realidade. A briga aconteceu em outubro de 2012 por causa da proibição do ‘altinho’, um jogo que se forma uma roda e os participantes tentam não deixar a bola cair na beira do mar.

À época, a Guarda Municipal  confirmou a repressão ao jogo, mas disse que já foi recebida com barras de ferro, pedaços de madeira, cocos e cadeiras de praia arremessados. Um rapaz foi detido. A prática estava proibida antes das 17h no local.

Restrições

No entanto, de acordo com o Uol, o primeiro dia do feriadão antecipado no Rio de Janeiro teve protesto e lojistas burlando as normas, que permitem apenas o funcionamento de serviços essenciais.

O movimento de pessoas e carros nas ruas era semelhante ao de um dia útil comum. Houve quem fosse às praias, ignorando as proibições de banhos de mar e permanência na areia.

As academias de ginástica também funcionavam normalmente, e feiras livres seguiam abertas. O cenário de aparente normalidade surpreendeu turistas de São Paulo —eles decidiram arriscar a viagem já que as passagens aéreas e a estadia no hotel já estavam pagas.

Jornal Midiamax