São Paulo tem primeiro dia de desfiles de escolas de samba nesta sexta

O sambódromo do Anhembi, na zona norte de São Paulo, recebe na noite desta sexta-feira, 21, o primeiro dia de desfiles do grupo especial de escolas de samba.

A primeira escola a entrar na avenida será a Barroca Zona Sul, que será seguida por outras seis agremiações até as 5h45 deste sábado, 22.

O dia foi de tempo nublado e chuva fraca na capital paulista, tendência que se mantém para as próximas horas.

 

VEJA A ORDEM DOS DESFILES DO CARNAVAL EM SÃO PAULO:

 

Sexta, Grupo Especial

 

23h15 – Barroca Zona Sul

 

00h20 – Tom Maior

 

01h25 – Dragões da Real

 

02h30 – Mancha Verde

 

03h35 – Acadêmicos do Tatuapé

 

04h40 – Império de Casa Verde

 

05h45 – X-9 Paulistana

 

Sábado, Grupo Especial

 

22h30 – Pérola Negra

 

23h35 – Colorado do Brás

 

0h40 – Gaviões da Fiel

 

1h45 – Mocidade Alegre

 

2h50 – Águia de Ouro

 

3h55 – Unidos de Vila Maria

 

5h00 – Rosas de Ouro

 

A Unidos de Vila Maria, que desfila na madrugada do domingo, 23, está entre as agremiações favoritas, em um ano em que cinco das escolas mais tradicionais da cidade estão no grupo de acesso. Além da Vai-Vai, rebaixada no ano passado, brigam pelo acesso Camisa Verde e Branco, Acadêmicos do Tucuruvi, Leandro de Itaquera e Nenê da Vila Matilde.

Cultura e política

A Barroca Zona Sul, que abre o carnaval de São Paulo, homenageará a líder quilombola Tereza de Benguela. A Tom Maior falará da participação e da importância do negro na história do Brasil. Para defender o enredo É Coisa de Preto, a bateria fará um tributo ao humorista Mussum (1941-1994). A X-9 Paulistana, que fecha o primeiro dia, traz um passeio sobre batucadas de todas as regiões e religiões brasileiras.

Por falar em religião, a Mancha Verde, quarta escola do primeiro dia de desfiles, põe Jesus no sambódromo. No enredo Pai! Perdoai, eles não sabem o que fazem!, a agremiação compara o calvário ao sofrimento do povo. Outras escolas que nasceram de torcidas organizadas trazem temas mais leves. A Dragões da Real, que também desfila no primeiro dia, falará do riso e do humor.

A Império de Casa Verde, a penúltima a desfilar no primeiro dia, vai para outro lado do mundo e aposta na história do Líbano. O desfile deve ter uma comitiva de mais de 150 libaneses e o grupo folclórico 1001 Noites. A escola anunciou a presença do cardiologista Roberto Kalil durante o desfile. O cantor Belo é outra personalidade confirmada. Já a Acadêmicos do Tatuapé vai defender a história e a cultura da cidade de Atibaia, no interior de São Paulo.

Mais notícias