Operação ‘Cara Dura’, da PF, cumpre mandatos de prisão no Tocantins

Corporação mira suspeitos de furtar agências bancárias com ajuda de funcionários

A Polícia Federal (PF) deflagrou hoje (27), no Tocantins, a operação Cara Dura, com três mandados de prisão e três de busca e apreensão contra suspeitos de furtar agências bancárias no Tocantins e em outros estados.

A operação começou com a investigação de um furto de R$ 150 mil, em uma agência da Caixa em Gurupi (TO), em janeiro. Suspeita-se que eles contaram com a ajuda de um funcionário do banco para praticar o crime.

Na época, quatro homens furtaram R$150 mil que estava sob a responsabilidade de um funcionário do banco e seria utilizado para o abastecimento dos caixas eletrônicos.

As investigações apontaram o possível envolvimento de um empregado da Caixa, além de um funcionário de empresa terceirizada que presta serviços à agência.

As prisões estão sendo realizadas em Niterói (RJ) e Belém (PA). Já as buscas são feitas em Palmas, Porto Nacional e Gurupi, cidades do Tocantins. Todos os mandados foram expedidos pelo juízo federal da subseção judiciária de Gurupi.

Segundo a investigações, os suspeitos agiam sempre de forma coordenada se aproveitando da distração de funcionários e falhas dos sistemas de segurança das agências bancárias e instituições financeiras, sempre com a finalidade de subtrair dinheiro em espécie.

Operação 'Cara Dura', da PF, cumpre mandatos de prisão no Tocantins
Mais notícias