Brasil

Moro exibe mensagens que mostram tentativa de Bolsonaro em interferir em investigações

O ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, apresentou ao Jornal Nacional, da TV Globo, prints de conversa que teve com o presidente Jair Bolsonaro na noite de quarta-feira, 22, que provariam acusações feitas pelo ex-ministro mais cedo nesta sexta-feira, 24. Na mensagem, o presidente compartilha uma nota do site O Antagonista intitulada “PF na cola de […]

Agência Estado Publicado em 24/04/2020, às 21h00 - Atualizado em 26/04/2020, às 01h38

Em resposta, Moro corrigiu o presidente e afirmou que o inquérito citado por Bolsonaro é, na verdade, conduzido pelo ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes. (Foto Reprodução TV Globo)
Em resposta, Moro corrigiu o presidente e afirmou que o inquérito citado por Bolsonaro é, na verdade, conduzido pelo ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes. (Foto Reprodução TV Globo) - Em resposta, Moro corrigiu o presidente e afirmou que o inquérito citado por Bolsonaro é, na verdade, conduzido pelo ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes. (Foto Reprodução TV Globo)

O ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, apresentou ao Jornal Nacional, da TV Globo, prints de conversa que teve com o presidente Jair Bolsonaro na noite de quarta-feira, 22, que provariam acusações feitas pelo ex-ministro mais cedo nesta sexta-feira, 24.

Na mensagem, o presidente compartilha uma nota do site O Antagonista intitulada “PF na cola de 10 a 12 deputados bolsonaristas” e pede na sequência a Moro: “mais um motivo para a troca”. A troca se referia à demissão de Maurício Valeixo da direção-geral da Polícia Federal.

Em resposta, Moro corrigiu o presidente e afirmou que o inquérito citado por Bolsonaro é, na verdade, conduzido pelo ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes. “Diligências por ele (Moraes) determinadas, quebras por ele determinadas, buscas por ele determinadas”, respondeu Moro.

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) negou as acusações feitas pelo ex-ministro da Justiça. Bolsonaro afirmou que as informações do ex-juiz federal são infundadas, mas não disse se irá acionar Moro judicialmente.

AMB, Associação dos Magistrados do Brasil, Amamsul, Associação dos Magistrados de Mato Grosso do Sul, parabeniza, Sergio Moro, ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, sucesso ao próximo
Moro deixou o Governo Bolsonaro nesta sexta-feira (24). (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Bolsonaro afirmou que o que Moro disse sobre ele tentar interferir em investigações em andamento e até em relatórios de inteligência na Polícia Federal são “infundadas e inverídicas”. “O ministro sabe que jamais lhe procurei para interferir nas investigações que estavam sendo realizadas. O senhor [Moro] não vai me chamar de mentiroso”, atacou o presidente.

Jornal Midiamax