‘Jamais se justificaria’, diz delegada sobre morte de João Alberto

Novas imagens mostram homem agredindo seguranças

A delegada responsável pelas investigações da morte de João Alberto Silveira Freitas, Roberta Bertoldo, disse que “jamais se justificaria qualquer tipo de desentendimento”. A trabalha com diversas frentes para esclarecer as circunstâncias do ocorrido.

Após a divulgação do primeiro vídeo, em que a vítima aparece sendo espancada por dois seguranças, novas imagens foram anexadas. Elas mostram João Alberto sendo seguido pelos funcionários e dando soco em um deles antes de ser agredido até a morte.

“Jamais se justificaria qualquer tipo de desentendimento, seja ele qual for, para que levasse a efeito tamanha violência como a que ocorreu durante está ação, desses seguranças, nesse ”, diz a delegada Roberta Bertoldo.

Ainda segundo a delegada, desde a quinta-feira a polícia trabalha com o objetivo de “especificar a conduta de todas as pessoas, para que todas sejam responsabilizadas na medida em que são implicados nessa ação delituosa”.

A investigação ouve informações apontadas por parte de pessoas ligadas à vitima e também daqueles que tenham envolvimento com os indiciados, segundo Roberta.

“Buscamos, então, imagens de câmeras de segurança no sentido de esclarecer melhor onde esta a verdade real desses fatos. Mas o que importa nesse momento é avaliar a conduta desses dois indivíduos que agiram de uma forma extremamente exacerbada em relação a contenção desse cliente”, afirma a delegada.

Os dois agressores – o policial militar Giovane Gaspar da Silva, de 24 anos, e o segurança Magno Braz Borges, de 30 – foram presos em flagrante e tiveram a prisão preventiva decretada na tarde desta sexta.

'Jamais se justificaria', diz delegada sobre morte de João Alberto
Mais notícias