Fundador da Ricardo Eletro é preso em São Paulo por sonegação de impostos

MP acusou empresários de sonegarem cerca de R$ 400 milhões em impostos

Em operação deflagrada pelo Ministério Público de e pela Receita Estadual, agentes da polícia civil cumprem, na manhã desta quarta-feira (8), três mandados de prisão e 14 de busca e apreensão, mirando em empresários sonegadores do setor de eletrodomésticos e eletroeletrônicos. O fundador da rede Ricardo Eletro, Ricardo Nunes, é alvo da chamada Operação Direto com o Dono e foi preso hoje, em São Paulo. Os empresários são acusados de sonegar cerca de R$ 400 milhões em impostos ao Estado de MG ao longo de cinco anos.

De acordo com a denúncia, as empresas da rede de varejo cobravam o imposto dos consumidores, embutido no preço dos produtos, mas não repassava o valor à Receita. Atualmente, a Ricardo Eletro está em recuperação extrajudicial, já fechou diversas unidades e demitiu dezenas de trabalhadores. O principal dono do negócio possui dezenas de imóveis, participações em shoppings na região metropolitana de Belo Horizonte e fazendas.

De acordo com  a força-tarefa, o crescimento do patrimônio individual do principal sócio ocorreu na mesma época em que os crimes tributários eram praticados, o que caracteriza crime de lavagem de dinheiro. Além dos mandados de prisão, a Justiça já determinou o sequestro de imóveis do dono da companhia, avaliados em cerca de R$ 60 milhões, com a finalidade de ressarcir o dano causado ao estado de .

 

 

 

 

Fundador da Ricardo Eletro é preso em São Paulo por sonegação de impostos
Mais notícias