Chuvas e ventos a mais de 100 km/h destroem casas e matam idosa no Sul do país

Uma idosa de 78 anos morreu após ser atingida por um galho de árvore

Um temporal atingiu boa parte da Região Sul do país na tarde desta terça-feira (30). Em algumas cidades, os ventos chegaram a mais de 100 km/h deixando muita gente sem energia elétrica e provocando estragos. Em Chapecó, uma idosa morreu após ser atingida por uma árvore derrubada pela força do vento.

Conforme apurou o G1, até as 16h07 a Celesc (Centrais Elétricas de Santa Catarina) reportou mais de 1,5 milhão de unidades consumidoras sem energia elétrica. De acordo com a PRF-SC (Polícia Rodoviária Federal), ainda chove muito em algumas cidades e há árvores caídas em várias rodovias.

Alguns dos locais onde a pista foi ou está interditada são a BR-470, em Blumenau, Ascurra, Lontras e Rio do Sul; a BR-116 em Mafra, Monte Castelo; BR-282, Joaçaba, Campos Novos, Vargem, Xanxerê, São José do Cerrito, Bom Retiro Rancho Queimado; e BR-101 em Itajaí, Biguaçu, Paulo Lopes e Tubarão; BR-153 em Concórdia; e BR-280 em Araquari.

Em Florianópolis, por volta das 17h25, mais da metade da cidade estava sem energia elétrica e o trânsito estava comprometido em alguns trechos. Uma placa de sinalização foi arrancada pela força do vento perto da ponte Hercílio Luz, informou a Guarda Municipal.

No bairro Córrego Grande, uma van e um carro de passeio foram atingidos por uma árvore em frente ao Parque Municipal do Córrego Grande. Houve também queda de árvore nas proximidades da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), no bairro Estreito, e na SC-401, que liga o Centro ao Norte da Ilha de Santa Catarina. A SC-406 está parcialmente bloqueada.

No Vale do Itajaí o vendaval também deixou estragos e assustou moradores. Um carro foi destruído com a queda de uma estrutura em Itajaí, e houve quedas de árvores.

Em Chapecó, velocidade do vento chegou a 108 km/h por volta das 13h30 no município, segundo Marcelo Martins, que é o meteorologista da Epagri/Ciram, órgão que monitora as condições climáticas no estado. A Secretaria de Defesa do Cidadão e Mobilidade (SEDEMOB) recebeu, via Defesa Civil, 350 registros de destelhamentos, quedas de árvores e galhos.

Chuvas e ventos a mais de 100 km/h destroem casas e matam idosa no Sul do país
Mais notícias