Brasil entra pela 1° vez em estágio desacelerado da Covid-19

Monitoramento que utiliza os últimos 30 dias como referência mostra a redução de novos casos

Desde o inicio da pandemia, o Brasil deixou o estágio estável e entrou pela primeira vez, nesta quarta-feira (30), no desacelerado no monitor de aceleração do ,  da Folha de S. Paulo. Em sete meses de pandemia, foram registrados 4,8 milhões de casos confirmados e 144 mil mortes causadas pela doença.

A nova classificação foi influenciada pelo estado de São Paulo, que também entrou pela primeira vez no desacelerado. Esse noto estágio significa que o número de casos caiu de forma considerável ao longo do tempo.

O Brasil já era considerado estável desde o dia 20 de agosto, segundo a Folha de S. Paulo. O nível anterior indicava que o país registrava um número significativo de pessoas sendo infectadas, mas a quantidade de novos casos era constante.

O modelo utilizado pela Folha para acompanhar a evolução do novo coronavírus no Brasil, se baseia no número de casos em cada local em um período de 30 dias, com peso para o período mais recente. O jornal não considera o número de mortes no seu levantamento.

Brasil entra pela 1° vez em estágio desacelerado da Covid-19
Gráfico utilizado para ilustrar o monitoramento realizado pela Folha de São Paulo. (Foto: reprodução/Folha de São Paulo)
Brasil entra pela 1° vez em estágio desacelerado da Covid-19
Mais notícias