Bolsonaro planeja jejum de um dia com líderes religiosos para ‘livrar’ Brasil do coronavírus

Em entrevista à Rádio Rádio Jovem Pan nesta quinta-feira (02), o presidente Jair Bolsonaro disse que planeja, junto com líderes católicos e evangélicos, um jejum, como forma de sacrifício religioso, para tentar livrar o Brasil do vírus.

“Sou católico, minha esposa é evangélica. É um pedido dessas pessoas um dia de jejum, para quem tem fé. A gente vai, brevemente, junto com os pastores, padres, religiosos, anunciar, pedir um dia de jejum a todo o povo brasileiro em nome, obviamente, de que o Brasil fique livre desse mal o mais rápido possível”, afirmou Bolsonaro em entrevista à Rádio Jovem Pan, nesta quinta-feira.

Também em entrevista à Jovem Pan, Bolsonaro afirmou que falta humildade ao ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, mas não pretende demiti-lo. Bolsonaro argumentou que não irá demitir o ministro da Saúde durante a “guerra”, em referência à atuação dele contra a pandemia do novo coronavírus, mas admitiu publicamente que tem tido problemas com o auxiliar. Em resposta, Mandetta, falou que ‘quem tem mandato fala, e quem não tem, trabalha’.

De acordo com o Ministério da Saúde, o Brasil registra 7.910 ocorrências confirmadas de infecções do novo coronavírus, com 299 mortes. Só nesta quinta, foram diagnosticados 1.074 novos casos.

Bolsonaro planeja jejum de um dia com líderes religiosos para 'livrar' Brasil do coronavírus
Mais notícias