Publicidade

Simone Tebet manifesta solidariedade às famílias das vítimas da escola de Suzano

Assessoria

A senadora Simone Tebet (MDB-MS), lamentou a tragédia na Escola Raul Brasil, em Suzano (SP), ocorrida na manhã desta quarta-feira (13). Em discurso na tribuna do Senado, ela solidarizou-se com os familiares das vítimas.

“Infelizmente, hoje fomos acometidos por mais uma barbárie. Esses tiros não foram a esmo. Na realidade, os atiradores miraram em todos nós. É preciso que não deixemos que a comoção e a indignação dobrem a esquina, para logo ali atingir outras escolas, outras famílias, outras crianças, outros adolescentes, e que as nossas ações não se restrinjam a meros soluço”, afirmou a senadora sul-mato-grossense.

Simone, que é presidente da Comissão de Constituição e Justiça, lamentou que além do crime contra os estudantes, a barbárie terminou em suicídio. Para a parlamentar, é preciso estar atento também aos jovens e crianças, à mercê dos aspectos negativos das redes sociais. Para ela, as famílias perderam o controle da educação de seus filhos, que ficam sujeitos, a partir da internet, ao ciberbullying, à exposição de cenas íntimas (chamada de vingança pornográfica), ao contato com pedófilos ou marginais que podem seduzi-los para o consumo e o tráfico de drogas, a jogos como Balei Azul, que instigava suicídios. “Temos índices alarmantes de suicídio de jovens e adolescentes no mundo”, alertou.

“Num momento de comoção, de dor, em que temos que nos solidarizar com as nossas famílias, com as famílias que perdem crianças e jovens, no momento em que esta Casa, sim, tem que fazer o seu papel na CCJ, nas Comissões, em Plenário, aprovando e atualizando o Código de Processo Penal, o Código Penal, é preciso avançar nessa discussão, é preciso termos a profundidade devida. O caminho para acabar com a cultura da violência é a educação, mas, sem trabalharmos e efetivarmos através de uma legislação rigorosa o combate a qualquer tipo de crime cibernético nas redes sociais, nós não conseguiremos de volta ou conseguiremos trazer para o País a cultura da paz”, defendeu.

Porte de armas – A presidente da Comissão de Constituição e Justiça do Senado, Simone Tebet (MDB-MS), defendeu o debate intenso e responsável no Legislativo sobre a autorização do porte de arma. Ela citou estudos que indicam que nos condados dos Estados Unidos onde o porte de armas é permitido há uma incidência maior de violência com arma de fogo e de suicídio de crianças e adolescentes. “O Brasil está preparado para ter posse e porte de arma? Se estiver, de que forma se dará essa autorização? Que tipo de armamento, para quem, valerá apenas para área rural ou para a cidade também? São muitas questões que precisam ser respondidas. Como presidente da CCJ não posso adiantar meu posicionamento. Acho que esse debate já está sendo travado e será ainda mais, com mais responsabilidade, no Congresso Nacional daqui para frente”, afirmou.

Mais notícias