Palmeirense, Bolsonaro diz não temer ser hostilizado por santistas na Vila

Conhecer pessoalmente o Rei Pelé e a Vila Belmiro são os principais motivos que vão fazer o presidente Jair Bolsonaro a deixar o Guarujá, onde passa o feriado, e seguir para assistir ao clássico Santos x São Paulo, neste sábado, 17 horas, pelo Campeonato Brasileiro.

O contato com o Rei do Futebol vai ficar para outra oportunidade Pelé está se locomovendo em uma cadeira de rodas, o que dificulta muito a presença dele no estádio santista, onde tem um camarote.

Palmeirense declarado, Bolsonaro garante que não teme ser hostilizado pela torcida do Santos. “O pessoal sabe que torço para o Palmeiras, mas eu sou um amante do futebol e estou indo lá para assistir um espetáculo. A torcida do Santos vai me tratar com consideração como sempre tratei todas as torcidas do Brasil. Os santistas sabem que respeito o time e a torcida”, afirmou.

Bolsonaro e sua comitiva sairão de helicóptero do Forte dos Andradas e seguirão para o Estádio Ulrico Mursa, que pertence à Portuguesa Santista. De lá, vão de carros oficiais até a Vila Belmiro, a pouco mais de 1 quilômetro de distância.

Para evitar o contato direto com a torcida santista, os carros adentrarão o ginásio do clube. De elevador, Bolsonaro e a comitiva chegarão ao camarote da presidência do clube.

De acordo com o apurado pela reportagem, Bolsonaro deve chegar com o jogo em andamento e sair antes do término da partida, para evitar tumulto. As organizadas Torcida Jovem e Sangue Jovem emitiram notas oficiais protestando com a presença de Bolsonaro na Vila Belmiro. Ele será o primeiro presidente da República a assistir uma partida na casa do time alvinegro em toda a história do clube.

Mais notícias