Defesa de Manvailer, acusado pela morte de Tatiane Spitzner, diz que acusação é “peça de ficção”

A advogada caiu do quarto andar do apartamento onde morava com o marido

Os advogados de Luís Felipe Manvailer, acusado pela morte da esposa, a advogada Tatiane Spitzner, apresentaram no último dia 18 defesa afirmando que a acusação feita pelo MP-PR (Ministério Público do Paraná) é uma “peça de ficção”.

A defesa disse, ainda, que a acusação não conseguiu determinar a exata causa da morte de Tatiane, sendo que a narrativa apresentada da a entender que a vítima teria morrido duas vezes, por esganadura e, em seguida, por politraumatismo, causado pela queda do prédio onde o casal morava.

“A denúncia oferecida pelo Ministério Público foi uma peça de ficção, sem mínimo respaldo probatório”, afirmou a defesa.

O MP-PR chegou a pedir aditamento da acusação, a fim de juntar os laudos realizados em Tatiane que, segundo anexado no processo, demonstraram “intenso sofrimento físico e psíquico na vítima”, além de “diversas marcas, equimoses e ferimentos produzidos pelas agressões sofridas ainda em vida”, o que classificaria o crime como homicídio qualificado.

Sobre o pedido de aditamento da peça, a defesa disse que o MP “não se mostrou apto a afastar a irregularidade inicial, antes o contrário, a tentativa de correção dos rumos acusatórios mostra a aleatoriedade com que se guia o Parquet”. Para os advogados de Luís, a acusação agiu de forma aleatória, “elegendo e descartando hipóteses acusatórias sem mínima base segura em elementos probatórios seguros”.

Segundo o jornal Paraná Portal, no pedido final a defesa afirmou que Luís Felipe Manvailer é inocente das acusações e apresentou 23 testemunhas favoráveis, incluindo uma que mora na Alemanha.

O caso

A advogada Tatiane Spitzner foi encontrada morta na madrugada de 22 de julho, após cair do quarto andar no prédio onde morava com seu marido, o professor Luis Felipe Manvailer.

Manvailer foi flagrado pelas câmeras do prédio agredindo Tatiane pouco antes de sua morte. Poucas horas depois Luiz foi preso e posteriormente acusado de feminicídio.

Segundo ele, a esposa teria se jogado da sacada do apartamento. Contudo, o MP-PR (Ministério Público do Paraná), por meio de nota, afirmou que o laudo realizado em Tatiane descarta a versão de Luis.

Mais notícias