Notícias de Mato Grosso do Sul e Campo Grande

Contra ‘politicamente correto’, MBL declara apoio a nome para presidente

Em artigo assinado por Kim Kataguiri

O Movimento Brasil Livre (MBL) declarou apoio a uma possível candidatura à presidência do chefe da Riachuelo, Flávio Rocha, em artigo assinado por Kim Kataguiri na Folha de S.Paulo desta segunda-feira (19).

Segundo Kataguiri, Rocha é o presidenciável que oferece melhores soluções para o problema da segurança pública no Brasil: “mudanças nas leis penais e processuais penais, privatização de presídios, ciclo completo de polícia etc”, diz o texto.

A agenda de propostas seria a vantagem mais óbvia de Rocha sobre o deputado federal Jair Bolsonaro, que, segundo o MBL, não tem propostas concretas para solucionar o problema da segurança no Brasil.

Além disso, Rocha também teria, de acordo com o artigo, mais traquejo para negociar com o Congresso e conseguir aprovar leis.

No texto, Kataguiri ainda defende o corte de gastos do governo, que passaria por uma “reforma previdenciária e salarial estruturante – que diminua as distorções entre setor público e privado-, privatizar empresas como Petrobras e Correios, fechar o BNDES e rever a intocável estabilidade do funcionalismo”.

Para o MBL, Rocha é o único que tem coragem de defender essas ideias impopulares e de “colocar o interesse público acima de seus interesses pessoais”.

“Apesar de não se declarar candidato, tem tudo para ser: experiência, capacidade comprovada, ideias corretas e espírito combativo”.

Kim Kataguiri afirmou, também à Folha, na semana passada, que seria candidato a deputado federal pelo Estado de São Paulo, pelo Democratas (DEM).

Flávio Rocha já afirmou, em entrevista a EXAME, que “está muito tarde para ser candidato”. O deputado Jair Bolsonaro já declarou que, se o empresário quisesse ser seu vice, seria bem-vindo.

Você pode gostar também