Esquema descoberto na Lava-Jato no RS e em Brasília é investigado pela PF

Operação investiga esquema de corrupção e lavagem de dinheiro

A Polícia Federal deflagrou nesta quarta-feira (16) a Operação Étimo, que tem como objetivo combater crimes contra o sistema financeiro nacional, lavagem de dinheiro, evasão de divisas e corrupção. Os policiais realizam ações em Brasília e no Rio Grande do Sul.

A Étimo é um desdobramento da Operação Lava-Jato. “Com dados obtidos a partir de compartilhamento de informações da 26ª fase da Operação Lava-Jato, foi possível aprofundar as investigações sobre esquema envolvendo lavagem de dinheiro por meio de entidade associativa ligada a grandes empreiteiras”, disse a Polícia Federal em nota.

Segundo as investigações, uma empresa de fachada teria recebido parte dos valores pagos a empreiteiras pela realização de obras públicas no Rio Grande do Sul, por meio de contratos falsos entre as construtoras e a empresa. Os crimes envolvem as cidades de Porto Alegre, Canoas e Glorinha. 

“A movimentação ilegal desses recursos, no Brasil e no exterior, sua origem e sua destinação, são objeto de investigação pela Operação Étimo”, diz a nota da Polícia Federal. O nome “Étimo” faz referência à origem de uma palavra, formada a partir de outras.

Mais de 50 policiais participam da Operação, cumprindo cinco mandados de busca e apreensão nas cidades do Rio Grande do Sul e em Brasília. A Justiça Federal também autorizou o sequestro dos bens e a quebra do sigilo dos investigados. 

Mais notícias