Notícias de Mato Grosso do Sul e Campo Grande

Bolsonaro explica elogio a Cunha no voto: ‘na guerra, não se escolhe aliado’

Deputado declarou que, sem Cunha, processo de impeachment não seria possível

O deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) publicou em seu Facebook, nesta segunda-feira (18), um vídeo onde busca justificar as homenagens ao presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). O deputado havia sido questionado por parabenizar Cunha, que é réu em processo por corrupção.

Bolsonaro declarou, durante a votação, que “um nome entrará para a história pela forma como conduziu os trabalhos nesta casa”, referindo-se ao presidente da Câmara, concluindo a frase dando parabéns a Eduardo Cunha.

“Na guerra, você não escolhe parceiro”, justificou o deputado, que também declarou que “Cunha foi o parceiro nessa guerra”. Bolsonaro fecha dizendo que “aqui o jogo é burto”.

A relação entre Bolsonaro e Cunha já é conhecida. No ano passado, os dois deputados apareceram juntos em uma foto na igreja coordenada pelo presidente nacional do PSC, Pastor Everaldo. Na ocasião, Bolsonaro também fez publicação em seu Facebook saudando Eduardo Cunha, mas posteriormente a apagou.

Voto polêmico

Em sua fala durante a votação pelo processo de impeachment, Jair Bolsonaro também prestou homenagens aos militares que aplicaram o golpe de 1964, citando ainda a “inocência das crianças em sala de aula”, o “Foro de São Paulo” e saudando o torturador Carlos Brilhante Ulstra, falecido no ano passado. 

Segundo o relatório da Comissão da Verdade, que investigou os crimes praticados durante a ditadura, Brilhante Ulstra é envolvido em mais de 60 casos de mortes e desaparecimentos durante o regime militar. 

Você pode gostar também
Comentários
Carregando...