Conexão Carandá e a queima do boi de papel em MS

No desespero, teve gente pensando em usar tragédia no Pantanal para 'esquentar' boiada gelada

O boi de papel criado para esquentar esquema de corrupção quase teve triste e trágico fim fictício. Como as presepadas do grupo parecem não ter fim, acharam que poderiam tirar proveito das queimadas em terras sul-mato-grossenses.

Os pais da brilhante ideia fazem parte da chamada ‘Conexão Carandá’. No entanto, como ninguém mais quer se envolver, a jogada esbarrou em servidores dizendo sonoros não a todos poderosos.

Assim, ninguém quer por a mão na massa nem com toda pressão oficial que estaria rolando. Há órgãos federais envolvidos e quem poderia ajudar não quer correr riscos por grupo cuja derrocada já é considerada questão de tempo.

Enquanto isso, a saga do boi de papel continua plenamente documentada, para desespero de quem entrou no esquema com a ilusão de que ‘ajudar ao rei’ seria bom.

Boi de papel, contratos verbais

E a pressa para ‘esquentar’ a boiada gelada teria a ver justamente com pressão que sofrem de fazendeiros implicados até o pescoço porque agiram ‘na base da amizade’. Embora seja com boi de papel, a negociata envolve contratos verbais, para desespero de quem confiou.

Tá por dentro? Fale com o Midiamax!

Se você está por dentro de alguma informação que acha importante o público saber, fale com jornalistas do Jornal Midiamax!

Fala Povo: O leitor pode falar direto no WhatsApp do Jornal Midiamax pelo número (67) 99207-4330. O canal de comunicação serve para os leitores falarem com os jornalistas. Se preferir, você também pode falar com o Jornal direto no Messenger do Facebook.

Flagrantes inusitados, denúncias, reclamações e sugestões podem ser enviados com total sigilo garantido pela lei.

Corrupção