[ BASTIDORES ] Doe seu salário, deputado

Puxão de orelha

Presidente da Alems (Assembleia Legislativa) Paulo Corrêa (PSDB) pediu irritado para os deputados não falarem ao mesmo tempo. Eles pedem pela ordem e acabam atrapalhando a sessão.

Me ajudem

“Tem que falar um só, não adianta falar dois ao mesmo tempo. Me ajudem”, disse o presidente.

Comissão

Colher os votos da Comissão de Finanças e Orçamento foi difícil durante a sessão de quarta-feira (15), pois a maioria dos deputados e suplentes não estavam presentes no momento.

Salários

Ainda mais de um projeto importante para os deputados, o da normatização e regulamentação do salário dos parlamentares, após ação direta no STF.

Puxão de orelha II

Com isso, Corrêa pediu para os deputados não ficarem ausentes durante a Ordem do Dia.

Perdido

Votando sobre a possibilidade de fechar a casa de Leis por 14 dias devido ao avanço do coronavírus, no momento de dar seu voto, Cabo Almi (PT) disse não ter pedido a palavra, ou seja, ele estava perdido. Corrêa riu educamente e explicou o que estava acontecendo.

Doe seu salário

Sem citar nomes, mas claramente em resposta a um colega que deu voto contrário, o deputado Lídio Lopes (Patriota) falou para doar o salário, já que não precisa dele. A votação era sobre a fixação em lei do salário dos deputados.

Bem maior

Ele falou ainda ser servidor de carreira do TCE (Tribunal de Contas do Estado) e poder escolher qual salário receber. “Meu salário é bem melhor do que o de deputado. Gente que não quer, devia doar o que ganha e dizer que não precisa do salário”.

 

AlemsAssembleiaCabo AlmiCoronavírusLídio LopesOrçamentoordem do diaPaulo CorrêaPSDBPTServidor PúblicoSTFVoto