Assembleia apresenta projeto para antecipar vacinação de professores em MS

A Mesa Diretora da Alems (Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso do Sul) apresentou projeto de lei para antecipar a vacinação de toda a comunidade escolar do Estado contra a Covid-19. A medida atende a diversos pedidos que vários deputados receberam nas últimas semanas. Pelo texto, serão imunizados professores; diretores e coordenadores; administrativos; inspetores, […]

Adriel Mattos Publicado em 25/02/2021, às 13h26 - Atualizado às 13h30

Foto: Wagner Guimarães, Alems - Foto: Wagner Guimarães, Alems
Texto inclui ainda demais trabalhadores da Educação

A Mesa Diretora da Alems (Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso do Sul) apresentou projeto de lei para antecipar a vacinação de toda a comunidade escolar do Estado contra a Covid-19. A medida atende a diversos pedidos que vários deputados receberam nas últimas semanas.

Pelo texto, serão imunizados professores; diretores e coordenadores; administrativos; inspetores, zeladores, merendeiras e demais funcionários das redes pública e privada. Esta não é necessariamente a ordem de vacinação.

Aqueles servidores que estão afastados do trabalho presencial e/ou estão cumprindo suas atividades por meio do teletrabalho não estão inclusos neste plano. O projeto foi cadastrado pelo presidente da Alems, Paulo Corrêa (PSDB), mas todos os outros 23 parlamentares constam como coautores.

“Ressalte-se que os desafios para a reabertura das escolas persistem, mas é preciso lidar com eles com foco e determinação e, sobretudo, prioridade política. A essencialidade dos profissionais da educação, assim como os da saúde, deve orientar a prioridade para sua vacinação: se os profissionais da saúde são fundamentais para a preservação da vida da população em geral, os da educação são igualmente imprescindíveis para propiciar o horizonte de futuro de nossas crianças e jovens”, diz trecho da justificativa.

A SED (Secretaria de Estado de Educação) define nesta quinta-feira (25) se retoma o ensino presencial, mantém as aulas remotas ou se adota um regime híbrido entre os dois. Em Campo Grande, a Reme (Rede Municipal de Ensino) permanece com a educação à distância.

A Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul) é contrária à retomada presencial. No interior, sindicatos pedem a manutenção das aulas remotas.

Com a pouca disponibilidade de doses pelo Ministério da Saúde, Estados e municípios poderão comprar diretamente dos fabricantes lotes dos imunizantes. O STF (Supremo Tribunal Federal) também autorizou a medida. A prefeitura da Capital estuda a aquisição de 347 mil doses.

A matéria ainda deve ser analisada pela CCJR (Comissão de Constituição, Justiça e Redação), ser votada em 1ª discussão, passar pelas comissões de mérito e ser novamente votada. Após isso, o texto vai para análise do governador Reinaldo Azambuja (PSDB).

Alems PSDB Mato Grosso do Sul Prefeitura de Campo Grande Reinaldo Azambuja Professores STF Ministério da Saúde Mesa Diretora REME Fetems Escola Municipal SED-MS Vacina Rede Estadual de Ensino CCJR Escola Estadual Vacinação Administrativos da Educação Escola Particular Coronavírus Covid-19 Projeto de Lei Assembleia Legislativa