Délia mantém decreto, mas não descarta flexibilizar funcionamento do comércio

A prefeita Délia Razuk recebeu um grupo de comerciantes na manhã desta sexta-feira (27) e reafirmou que estão mantidas as medidas contidas no Decreto nº 2.480 de 23 de março de 2020. Entretanto,  diante das ponderações dos empresários, não descartou estudos visando a possibilidade da flexibilização da lei visando o funcionamento do comércio.

A chefe do Executivo  reconheceu como legítimo o movimento dos empresários e comerciantes, mas expôs que a administração tem a responsabilidade de adotar medidas que visam à preservação da saúde pública.“Entendemos a preocupação dos comerciantes, sabemos que todos têm suas responsabilidades fiscais. Por hora vamos manter todas as medidas do decreto, com as lojas fechadas e o toque de recolher”, disse a prefeita, reafirmando que a preocupação continua sendo a saúde da população.

A prefeita disse que desde o início da pandemia a administração municipal vem seguindo um protocolo, que começou com a redução do horário de funcionamento do comércio e, depois, o fechamento total, inclusive com limitação de horário para circulação de pessoas nas vias públicas.

Ao término da reunião com os representantes do comércio, a chefe do executivo municipal afirmou ser “natural que as decisões sejam adequadas de acordo com a evolução da pandemia”.

Logo após a à reunião com o segmento do comércio, a prefeita Delia Razuk reuniu-se com equipe técnica de médicos que ir irão elaborar Nota Técnica que deverá nortear decisões futuras, inclusive no tocante à flexibilização das medidas contidas no decreto em vigor.

Um pouco antes de receber o grupo de comerciantes, a prefeita teve um encontro com alguns vereadores de Dourados a respeito da manifestação e das medidas que estão em vigor. Entre os representantes da Câmara estavam o presidente  da Casa de Lei, Alan Guedes, Braz Mello, Sérgio Nogueira, Bebeto, Pastor Cirilo e Júnior Rodrigues.

Diálogo

Segundo Alan Guedes na conversa com a prefeita foi tratado do repasse de R$ 150 mil da Câmara que está sendo feito para a Prefeitura e também de questões relativas às medidas já implementadas e outros que podem ser ajustas pelo Executivo.”Existe a possibilidade de um novo decreto ser editado na próxima terça-feira com algumas mudanças.Entretanto , algumas coisa a prefeita não abriu, como por exemplo o toque de recolher que está vigor”, disse Guedes.

Membro o Comitê de Gerenciamento da Crise do Coronavírus e presidente da comissão de Saúde, o vereador Braz Mello também considerou que algumas medidas precisam ser tomadas em relação à crise econômica que pode afetar a cidade. “Qualquer mudança precisa ser bem estudada para que a saúde da população e nem a sobrevivência das pessoas sejam coladas em risco”, afirmou o vereador.

Sérgio Nogueira destacou o papel da Câmara em intermediar diálogos voltados para o desenvolvimento da sociedade e enalteceu a disposição da prefeita em ouvir as ponderações de todos os setores da sociedade.”‘Esse é um momento extremamente delicado e que  precisamos  estar unidos diante de qualquer decisão a ser tomada”, comentou Nogueira.

O líder da prefeita na Câmara, vereador Bebeto disse que a prefeita, após ouvidas as análises técnicas das pessoas que estão envolvidas nas ações de combate ao coronavírus, saberá tomar a decisão mais sensata. “Ela está ciente do problema que  a cidade enfrenta nesse momento difícil mas também está sensível e aberta às reivindicações dos comerciantes douradenses”, disse o líder da prefeita.