Reinaldo quer compensar perda prevista de R$ 600 milhões no ICMS do gás para 2020

Governador não mencionou quais seriam as formas estudadas pela gestão para aumentar receita estadual

Com previsão de perda de R$ 600 milhões no ICMS (Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) do gás natural em 2020, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) informou que busca uma forma de compensar a queda na arrecadação estadual. A fala foi feita durante a VIII Reunião do Grupo de Trabalho do Corredor Rodoviário Bioceânico, realizada na manhã desta quarta-feira (21) em Campo Grande.

“Nós vamos ter um leque de alternativas que nós vamos discutir para que a gente possa ver como substituir essa perda que pro ano que vem deve se avizinhar aí perto dos R$ 600 milhões e quais as opções que nós temos pra substituir isso”, declarou Reinaldo, sem adiantar quais seriam as formas de compensação.

Segundo o governador, a situação fica ainda mais difícil diante do cenário de estagnação da economia brasileira. Nas exportações do gás natural, os problemas são ainda mais pontuais. De um lado, MS amarga redução nas exportações. “Nós temos uma enorme preocupação porque além de nos últimos anos a gente estar perdendo, a projeção para 2020 é desastrosa para Mato Grosso do Sul porque, praticamente, diminuiu a níveis mínimos o bombeamento”, detalhou o governador.

Somado a isso, completou, o País tem desenvolvido uma nova política para o desenvolvimento do setor de gás. “E o preço da molécula do gás está passando por uma reestruturação no Brasil”, comentou Reinaldo, enfatizando que a situação impacta diretamente na maior receita de ICMS do Estado.

Neste ano, a receita estadual já amargou queda na arrecadação e a previsão é que ela se intensifique em 2020. Diante do cenário, o governador adiantou que tem discutido para que ‘possa apresentar quais as alternativas possíveis pra substituir essa possível queda de receita’.