VÍDEO: Câmeras flagram comércio de drogas no Centro de Campo Grande

Ação foi flagrada nos primeiros dias do ano

Câmeras de videomonitoramento do programa Cidadão Integrado da CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas) de Campo Grande, flagraram a ação de traficantes no Centro, em plena luz do dia. Sem muito se preocupar, cooptam ‘mulas’ para o tráfico e há também o uso de drogas, sem qualquer problema, nas calçadas da Capital. A situação gerou alerta da própria CDL, diante dos riscos, tanto para a população, quanto para os comerciantes da região.

As imagens recentes, dos primeiros dias deste ano, na região do bairro Amambaí, região central de Campo Grande, mostram usuários sendo usados como mulas – pessoas que levam as drogas aos pontos – e, em muitos casos reforçando o consumo, com pagamentos pelos “serviços” prestados aos traficantes, por meio de pedras.

Além disso, as imagens mostram um veículo VW Gol, entregando drogas na região. O carro para em algumas ruas, mas o motorista não desce, apenas repassa  entorpecente. A ação foi flagrada em várias ruas da região central.

De acordo com o diretor da CDL-CG, Denison Zubieta, um dos pontos mais complicados é o quadrilátero envolvendo as ruas Dom Aquino entre a Joaquim Nabuco x Alan Kaderc e Rua Dom Aquino entre Alan Kardec x Saldanha Marinho. “Cada vez mais tem ocorrido uma migração desses usuários para a região mais acima, próximo a Cabeça de Boi e Marechal Rondon”.

Denison ressaltou que conforme ocorre a atuação policial a migração acontece. O diretor enfocou que as imagens dos usuários e traficantes são registradas diariamente, na região. Além disso, há o registro na Rua Barão do Rio Branco entre a Joaquim Nabuco x Alan Kaderc e Rua Barão do Rio Branco entre Alan Kardec x Saldanha Marinho.

Para o presidente da CDL, Adelaido Vila, além do medo que a população tem de frequentar a região, o livre comércio e uso de drogas traz transtornos também para os comerciantes, que se tornam reféns do caos que se forma no entorno de seus empreendimentos com intimidações, assaltos, furtos e roubos.

Adelaido afirma que acredita que a polícia vem fazendo seu papel, no entanto, pede ações mais rígidas. “Sabemos que a polícia tem cumprido seu papel, mas algo mais rígido precisa ser feito para evitar a migração dos usuários e dos traficantes, que ficam aliciando esses doentes que não conseguem se libertar do vício”.

Sobre o veículo Gol citado acima, a reportagem do Jornal Midiamax entrou em contato com a assessoria da GCM (Guarda Civil Metropolitana), que informou não ter recebido denúncia sobre tal veículo. No entanto, afirmou que após a informação sobre o caso, irá intensificar as diligências na região, a fim de identificar o autor. Já a PMMS (Polícia Militar do Estado de Mato Grosso do Sul), não repassou posicionamento até a publicação deste material.

 

 

CDLCentro de Campo GrandeComércioDenúnciadest1GCMlojistasMato Grosso do SulPolícia MilitarvícioVideomonitoramentoWhatsApp