Defensoria vai a Gameleira para reunião após greve de fome de presos

A Defensoria Pública de Mato Grosso do Sul faz uma visita na manhã desta sexta-feira (19), no Presídio de Regime Fechado da Gameleira, a ‘nova Máxima’, após presos fazerem greve de fome exigindo melhorias e atendimento. Na quarta-feira (17) e também nesta quinta-feira (18), familiares fizeram manifestação pacífica do lado de fora, passando o dia todo na […]

Thatiana Melo Publicado em 19/02/2021, às 08h53

(Henrique Arakaki, Midiamax) - (Henrique Arakaki, Midiamax)
Greve de fome já teria sido encerrada, segundo Agepen

A Defensoria Pública de Mato Grosso do Sul faz uma visita na manhã desta sexta-feira (19), no Presídio de Regime Fechado da Gameleira, a ‘nova Máxima’, após presos fazerem greve de fome exigindo melhorias e atendimento. Na quarta-feira (17) e também nesta quinta-feira (18), familiares fizeram manifestação pacífica do lado de fora, passando o dia todo na frente da unidade.

Uma reunião foi marcada para esta manhã de sexta (19), com a direção administrativa para a verificação do instituto penal. Segundo informações da Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário), a greve de fome iniciada pelos detentos já teria terminado, e estão recebendo normalmente a alimentação.

Na tarde de quinta (18), familiares foram até a frente da penitenciária para uma manifestação de forma pacífica. A advogada Cibelly Bezerra, de 30 anos, disse ao Jornal Midiamax que “Estamos requerendo os direitos que estão sendo violados, não está entrando advogado”, afirmou.

Ainda conforme a advogada, eles exigem o cumprimento dos direitos humanos. Os familiares dos internos alegam que os presos estão sem alimentação, sem colchão, remédios ou até mesmo cobertor. Conforme a Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário), a alimentação é entregue três vezes ao dia por empresa terceirizada e feita conforme indicação de nutricionista.

Em nota na última quarta (17), a Agepen disse que os detentos estavam recebendo todas as refeições no dia e que o abastecimento da água estava regular, além de terem disponível o atendimento de saúde e psicossocial, contato virtual com a família, já que as visitas presenciais estão suspendas, pela Covid-19.

“Desde o último sábado um grupo formado por lideranças negativas passou a recusar as refeições oferecidas, exigindo que sejam autorizadas algumas regalias na penitenciária, entre elas televisores nas celas. Importante destacar que a Agepen atua em conjunto com o Ministério Público e o Poder Judiciário, com correições regulares e audiências com internos no sentido de receber as demandas e atender o que realmente for pertinente”, comunica.

Ainda segundo a agência, os colchões mais antigos foram fornecidos em fevereiro de 2020 quando a unidade foi ativada, assim como os uniformes. “As vestimentas estão sendo renovadas conforme a produção própria em andamento, sendo dever do custodiados zelar por elas. Referente aos colchões, ocorrerão as reposições conforme aprovadas novas aquisições”, finaliza.

Advogado Mato Grosso do Sul Greve Agepen Defensoria Pública Máxima Direitos Humanos pac Gameleira fome Covid-19 ministério