Presos em avião com cocaína após perseguição da FAB serão interrogados em dezembro

Aeronave transportava mais de 500 quilos de droga

Está agendado para o dia 7 de dezembro, às 13h30 de Mato Grosso do Sul o interrogatório de Júlio Cesar Lima Benitez e Nélio Alves de Oliveira. Copiloto e piloto foram presos em flagrante no dia 2 de agosto, após tentarem fugir de aeronaves da FAB (Força Aérea Brasileira).

Além dos réus, serão ouvidas testemunhas, como policiais militares que atuaram na ação. Atualmente, Júlio e Nélio estão detidos no PED (Presídio Estadual de Dourados) e devem participar da sessão por meio de videoconferência. Eles são acusados de tráfico de drogas.

Perseguição e prisão

Na manhã daquele dia 2, a FAB interceptou, em operações simultâneas, duas aeronaves classificadas como suspeitas. Conforme as informações de inteligência da Polícia Federal, os aviões poderiam estar associados ao tráfico de entorpecentes.

As ações envolveram quatro caças A-29 Super Tucano da FAB e um E-99, além de todo o Sistema de Defesa Aeroespacial Brasileiro. Na primeira ação, uma aeronave monomotor, modelo EMB-720 Minuano, foi interceptada a nordeste de Campo Grande. O monomotor foi abordado por um A-29 e passou pelos procedimentos de averiguação.

A aeronave foi escoltada até o pouso obrigatório em Rondonópolis (MT), onde a PF assumiu as ações. O piloto foi preso em flagrante e 487 quilos de cocaína foram apreendidos. Na segunda ação, um bimotor B-58 Baron foi interceptado a sudoeste de Campo Grande, sendo orientado a pousar em Três Lagoas.

O avião, pilotado por Nélio e Júlio, não cumpriu as determinações dos órgãos de Defesa Aérea e evadiu-se. O piloto acabou realizando pouso forçado em campo não preparado, em Ivinhema, com cerca de 518 kg de cocaína a bordo. Eles acabaram detidos em terra por militares de Nova Andradina.

CocaínaFABMato Grosso do SulMTNordestePEDPolícia FederalTráfico de Drogas