PF descobre que servidor de MS alvo de operação contra cigarreiros já morreu

Seria determinado o afastamento dele

A Polícia Federal deflagrou nesta quarta-feira (23) a Operação Free Pass, para desarticular esquema de contrabando de cigarro que operava na fronteira com o Paraguai. Um dos alvos era um servidor da Receita Federal lotado na alfândega em Mundo Novo, que teria o afastamento determinado. No entanto, os policiais constataram que ele já havia morrido.

Ao todo, foram cumpridos quatro dos cinco mandados de busca e apreensão, mas não houve sequestro de bens ou valores em espécie. Um dos imóveis visitados estava vazio. Conforme já noticiado, as investigações iniciaram após a apreensão de uma carga de cigarros contrabandeados, ocorrida no município de Mundo Novo. 

No inquérito foi descoberta a existência de uma associação criminosa integrada por um servidor da Receita Federal, cuja função era vigiar os demais colegas e informar aos contrabandistas os momentos em que estes poderiam passar pela Alfândega sem serem revistados. 

O nome da operação, Free Pass, deve-se ao fato de que se tratava de um “passe livre” (Free Pass em inglês) aos contrabandistas do grupo. Ao todo, 20 policiais cumpriram nos estados de Mato Grosso do Sul e Paraná os mandados de busca e apreensão expedidos pela Justiça Federal de Naviraí.

Contrabando de Cigarrodest1FronteiraImóveisJustiça FederalMato Grosso do SulParaguaiPolícia FederalReceita FederalSequestro