Juiz mantém prisão de 8 acusados de matarem idoso que estuprava a neta

O homem de 73 anos teria estuprado a menina de 11 anos

No início da semana, foi marcado para janeiro de 2021 o julgamento de 9 réus, acusados de matarem um idoso de 73 anos na 1ª Delegacia de Dourados, cidade a 225 quilômetros de Campo Grande. O crime aconteceu em outubro de 2018, quando o idoso, preso por estuprar a neta de 11 anos, foi assassinado pelos companheiros de cela.

A denúncia apresentada pelo MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) tinha originalmente 14 responsáveis pelo crime. Todos estavam custodiados na 1ª Delegacia de Polícia Civil no dia em que ocorreu o homicídio, mas as provas apontaram a participação de 9 pessoas.

Destas, apenas um réu está atualmente em liberdade. Agora, o juiz agendou para janeiro de 2021 o julgamento por júri popular e manteve a prisão dos outros 8 réus.

Entenda o caso

Naquele dia 22 de outubro de 2018, o idoso de 73 anos foi preso no âmbito da Operação Saturação. Isso, porque era acusado de estuprar a neta de 11 anos. Assim, foi conduzido para a cela 1, onde estavam os réus e dois deles questionaram o motivo da prisão.

O idoso então acabou contando sobre o estupro. Com isso, detentos faccionados do PCC (Primeiro Comando da Capital) que estavam nas outras celas incitaram a execução dizendo “Esse cara tem que morrer”. Com isso, um dos presos começou a agredir o idoso, enquanto outros estenderam roupas no varal para impedir que a câmera de monitoramento filmasse o crime.

O idoso acabou morrendo após ser espancado e foi colocado na cama. Em 13 de novembro o MPMS ofereceu a denúncia contra os suspeitos pelo homicídio qualificado por meio cruel e recurso que dificultou a defesa da vítima.

DenúnciaEstuproHomicídioJúriMato Grosso do SulMPMSPCCPolícia Civil