Arrendatário leva multa de R$ 124 mil por degradação do rio Formoso, em Bonito

Além da multa, ele pode responder por crime ambiental

Arrendatário de uma fazenda localizada na zona rural de Bonito, a 300 quilômetros de Campo Grande, foi multado em mais de R$ 124 mil por degradação do rio Formoso. Há vários dias a PMA (Polícia Militar Ambiental) fazia buscas para descobrir a origem da turbidez das águas do córrego Piquitito e do rio Mimoso, ambos afluentes do rio Formoso.

Conforme nota da PMA, a água que é normalmente cristalina, apresentava-se turva, com cor avermelhada, motivo pelo qual todas as propriedades da região foram vistoriadas. Na terça-feira (24), em uma fazenda, localizada à margem da rodovia MS-178, a 8 quilômetros de distância da cidade, foi identificada a causa do problema.

Foi descoberto que o arrendatário realizou o preparo inadequado do solo para agricultura, plantio de soja e, com as chuvas, houve sedimentação da área plantada para uma represa, da qual escoava, atingindo as áreas protegidas de matas ciliares do córrego Piquitito, desaguando nele, seguindo para o rio Mimoso e, consequentemente, a água barrenta seguia para o rio Formoso.

O infrator foi notificado a apresentar Projeto de Manejo e Conservação de Solo e Água. As atividades foram paralisadas e o arrendatário, residente em Bonito, foi autuado administrativamente e foi multado em R$ 124.230,00. Além da multa, que será julgada pelo órgão ambiental estadual, os relatórios da PMA serão encaminhados ao Ministério Público e o infrator poderá responder pelo crime ambiental de degradação de área de preservação permanente.

AgriculturaCrime AmbientalPMAPolícia MilitarPrefeitura de BonitoRio Formososoja