Justiça mantém prisão de militar que sequestrou motorista que usou carro pra pagar agiota

O suspeito possui personalidade inadequada para vida em sociedade, segundo Juiz

A Justiça manteve a prisão do cabo da aeronáutica, de 25 anos, que foi preso na tarde desta quarta-feira (12), depois de sequestrar e agredir um homem de 47 anos na tentativa de recuperar um carro. Ele teve sua prisão em flagrante convertida em preventiva durante audiência de Custódia na tarde desta sexta-feira (14), em Campo Grande.

Segundo o Juiz, o suspeito deve continuar preso pois possui uma personalidade inadequada para vida em sociedade, além do crime ter sido praticado com violência e participação de mais de uma pessoa, no caso o agiota, o que demonstra certa organização da prática criminosa.

Entenda o caso

O automóvel, um Fiat Pálio, havia sido alugado para um motorista de aplicativo que entregou o veículo a um agiota como garantia do pagamento de uma dívida. Ao descobrir a negociação, o autor sequestrou o pai do motorista para tentar forçá-lo a reaver o Pálio.

De acordo com informações do Boletim de Ocorrência, por volta das 14h30 o motorista de aplicativo recebeu uma ligação informando seu pai havia sido sequestrado. Na ligação, o autor exigiu o pagamento de R$ 6,5 mil para que a dívida com o agiota fosse quitada e o carro devolvido. Em seguida, ele recebeu um vídeo em que o pai aparecia bastante machucado, sangrando e com um ferimento no pescoço. Para intimidar, o suspeito afirmou que a vítima tinha levado um tiro de raspão.

O motorista foi ameaçado diversas vezes e informado de que o pai só seria posto em liberdade em uma região do Bairro Nova Lima, após o pagamento do valor.

As imagens enviadas foram entregues à equipe de investigação, que conseguiu reconhecer o automóvel de onde o vídeo foi feito, um Volkswagen com banco de couro. Após o início das diligências para tentar solucionar o caso, o filho da vítima recebeu uma nova ligação, desta vez do pai dizendo que havia sido abandonado na região da antiga rodoviária.

Resgatado, o homem contou que foi abordado por dois suspeitos em um posto de gasolina na Avenida Afonso Pena, e que, dentro do carro, foi estrangulado com um cinto de segurança, teve uma garrafa quebrada na cabeça e sofreu diversas agressões.

Depois de identificar o suspeito do crime, os policiais foram até a casa do cabo da aeronáutica, no Bairro Jardim Centenário, e o abordaram no momento em que ele chegava no local acompanhado de quatro pessoas. No carro estacionado na garagem da residência policiais localizaram manchas de sangue e, diante da evidência, o agente confessou que havia sequestrado a vítima para tentar recuperar o carro entregue ao agiota, no entanto, se negou a apontar quem seriam os comparsas que o ajudaram.

O suspeito foi preso e encaminhado para a sede da Polícia da Aeronáutica.

 

agiotaJustiçamantémmilitarpresosequestrou