Assassinos de dupla podem ter gritado ‘Aqui é do PCC’ para despistar a polícia

Os responsáveis pelo assassinato de dois homens dentro de um barraco na comunidade Ouro Fino,  região conhecida como ‘Favelinha’, na cidade de Dourados, a 225 quilômetros de Campo Grande, podem ter gritado: ‘aqui é do PCC’ com a intenção de confundir as investigações. De acordo com a polícia, é comum que assassinos tentem despistar os […]

Fernanda Müller Publicado em 19/07/2018, às 16h22

-
Nenhum suspeito foi preso até agora

Os responsáveis pelo assassinato de dois homens dentro de um barraco na comunidade Ouro Fino,  região conhecida como ‘Favelinha’, na cidade de Dourados, a 225 quilômetros de Campo Grande, podem ter gritado: ‘aqui é do PCC’ com a intenção de confundir as investigações.

De acordo com a polícia, é comum que assassinos tentem despistar os investigadores atribuindo a culpa a outras pessoas. Ainda não foi confirmada a participação da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital) no crime, o que não significa que os bandidos não sejam da facção. Testemunhas teriam ouvido a frase enquanto os bandidos fugiam,  logo após  dispararem 12 tiros, na noite da última terça-feira (16).

Getúlio Vargas da Silva, 37 anos, foi morto com quatro tiros na cabeça e encontrado em cima da cama. Já a outra vítima, que ainda não foi identificada, foi alvejada por pelo menos sete disparos, sendo um na cabeça e três na boca.

Ainda de acordo com as testemunhas, no dia anterior duas pessoas estavam próximas ao barraco das vítimas, sendo um de cor parda, com tatuagens nos braços e com aproximadamente 1,70 de altura. Já o outro moreno, magro e de aproximadamente 1,75 de altura e com tatuagens no braço direito. Nenhum suspeito foi preso até agora.

Crime Organizado Prefeitura Municipal de Dourados PCC