4 nichos de mercado que aumentaram durante a pandemia

Toda crise gera mudanças. Quando temos uma quebra na bolsa de valores, ações despencando ou subindo, as lojas investem mais em determinados produtos. Os preços da gasolina, do petróleo e de outros derivados influenciam diretamente na crise econômica de um país. Mas quando falamos em crise na saúde o principal impacto na economia são as mudanças nos hábitos de consumo.

Com a pandemia do coronavírus, diversos estabelecimentos fecharam as portas, outros estão faturando mais que o esperado. Mas, como saber qual nicho do mercado está crescendo? Como saber onde investir nesse momento e com que tipo de mercado criar parcerias e oportunidades?

No texto de hoje, vamos falar um pouco sobre 4 opções de consumo que aumentaram durante a pandemia para você ficar de olho. Confira abaixo:

 

Alimentação 

O primeiro ponto que abordamos no texto é alimentação. Quando falamos assim, não estamos enfatizando apenas restaurantes, mas também supermercados e microempreendedores do ramo. Ou seja, diversos restaurantes aumentaram suas áreas de delivery, ao fazerem parceria com aplicativos como Rappi, Uber Eats e Ifood. Outras possuem cupom de desconto para moradores da região que possam passar e buscar sua comida.

Mas, por que gastar em refeições e não cozinhar? Com o isolamento social, muitas famílias estão em casa 24 horas por dia, com seus filhos sem aula nos colégios e sem as atividades ao longo do dia. Com isso, a dificuldade de trabalhar, cuidar da casa e alimentar a família está sobrecarregando muitos pais. Pedir comida ficou mais fácil e necessário.

Mas se você não tem filhos e mora sozinha ou com seu parceiro, cozinhar pode ser um jeito de economizar não é mesmo? Então, os supermercados e microempreendedores começam a lucrar muito mais. Mercados cheios, padarias, confeitaria e mercearias com o essencial para o dia a dia passam a ser o desejo de compra de muitos.

Produtos fitness

Isolamento social e quarentena fizeram com que as academias fechassem as portas. Está proibido frequentar praças, praias e lugares abertos mesmo que seja para prática de exercícios. Então, para não perder o costume, muitos estão criando academias dentro de casa. Seja um colchonete de yoga, elásticos, cordas, pesos e até mesmo esteiras e bicicletas ergométricas.

Ou seja, as lojas de produtos fitness estão com as vendas crescentes e o lucro aumentando. E não pense que as marcas de roupa estão ficando para trás. Tops, shorts, roupas confortáveis e seguras para malhar entram nesse processo de compra.

Sex shop online

Casais juntos 24 horas por dia. Solteiros longe de seus parceiros e dates. Estresse e cansaço emocional. Falta de vontade e sem perspectivas de sair e se relacionar com o outro. Isso tudo fez com que o mercado de sex shop crescesse consideravelmente durante a pandemia.

Para os casais, comprar produtos eróticos é uma opção para apimentar a rotina de todo dia. Cosméticos, lingeries, jogos e fantasias para os dois. Já para os solteiros, vibradores e alguns utensílios para o prazer pessoal são os mais comprados. Afinal, já foi comprovado que com os produtos sexuais, liberamos hormônios que nos dão a sensação de bem-estar, calma, relaxamento e prazer, importantes nesse momento de isolamento social.

O mercado de produtos eróticos se preparou para isso, lançando um mix variado de produtos, que estão presentes desde as lojas físicas, até os sex shop onlines. A revenda de produtos eróticos pela internet é um ponto fundamental neste período, pois as lojas virtuais oferecem todas as informações sobre as linhas de produtos e garantem entrega em todo o Brasil. Muitas vezes com frete grátis.

Produtos de casa

Estamos mais em casa e com isso, aquele papel de parede que você quer trocar, aquele quadro que ficou de pendurar, aquela luminária que você queria comprar, mas não tinha tempo de pesquisar; viraram prioridades. As compras de produtos de decoração e utilidades domésticas são segmentos crescentes durante a pandemia.

Até mesmo as coisas mais simples, panelas, frigideiras, travessas, copos, pratos, panos, toalhas, lençol, tudo isso está sendo mais usado do que nunca e precisa ser trocado.

 

 

economiapandemia