“Esparrela”: Brilhante Espedito Di Montebranco, volta às origens em Espetáculo

Com adaptação do texto do Paraibano Fernando Teixeira, Ator revisita suas raízes nordestinas.

Nascido em Bodocó, Pernambuco, o Ator, Poeta, Dramaturgo, Iluminador e Diretor, Espedito de Montebranco, dará vida ao nordestino Manuel, que cria uma relação intrigante com o urubu Arquimedes, na adaptação de Esparrela, texto do premiado dramaturgo Paraibano Fernando Teixeira. Vivendo em Campo Grande desde os quatro anos de idade, podemos dizer que nos apropriamos do artista e hoje ele é nosso, sul-mato-grossense à moda pernambucana.

Um monstro do teatro, icônico no cinema, maestral em sua arte, é sempre um privilégio prestigiar o enorme talento deste grande Ator. São mais de 24 anos de profissão artística e mais de 40 vezes premiado e homenageado por suas criações. Também são 24 as produções cinematográficas que atuou, cerca de 30 peças teatrais e mais de 100 comerciais, além de se dividir entre os ofícios de Iluminação artística, preparação de elenco e assistência de direção.

Em sua história, Montebranco já cursou e trabalhou com profissionais de renome nacional e internacional, como Fernanda Montenegro, Cacá Carvalho, Jonas Bloch, Via Negromonte, Leonardo Medeiros, Du Moscovis, Vitor Wagner, Matheus Nachtergaelle, Marco Bechis, Davi Cardoso, Paulo José e Marco Ricca.

Serão 10 apresentações, prestigie! (foto: Vaca Azul)

Com toda essa bagagem, o Ator está prestes a encenar o monólogo Esparrela, em Campo Grande, com estreia nesta semana, com entrada gratuita para todos. Uma grande oportunidade de presenciar este verdadeiro mestre em cena.

Anota aí: serão dez dias de apresentação: de 15 a 19/01 e 22 a 26/01, de quinta à domingo, sempre às 20h, no espaço do Teatral Grupo de Risco.

O espetáculo

Esparrela mostra a relação do urubu Arquimedes e seu adestrador Manuel que, para entrar na cidade da qual foi expulso, após uma morte drástica, acabam se unindo quando Manuel então resolve ensinar a ave a dançar para impressionar as pessoas daquele povoado. Desta relação surge uma amizade que se encerra com a morte do adestrador e o ressurgimento dele em sua ave adestrada.

Em cena um homem é um abutre capturado por outro homem, que o condiciona a dançar em cima de uma lata para ganhar dinheiro pelas cidades. Esparrela conta a curiosa história da relação entre dois seres, que não deixam de ser simultaneamente caçadores, passando a ser outra coisa no curso da história. “Ao acompanhar a história de Arquimedes, um destes inúmeros urubus que povoam os céus dos sertões brasileiros e de seu adestrador Manuel, iremos conduzir o público a lugares, povoados e ações que demarcam o espaço ficcional da narrativa e desvelam a condição animal de Arquimedes”, revela o Ator e Diretor.

Esparrela (foto: Vaca Azul)

Desvelando o mundo dos homens e toda a sua crueza, a morte também é condição de vida na narrativa apresentada. Nos familiares de Manuel, assassinados em um incêndio criminoso e no próprio adestrador que, picado por uma cobra, espera em agonia a morte chegar.

Um texto sobre o destino, sobre a eterna busca de sentido para a existência humana. Nos leva a pensar sobre as nossas vidas, aquelas estórias metafóricas e enigmáticas que provocam a nossa reflexão.

Um espetáculo que busca ativar o músculo da imaginação.

Ficha Técnica:
Autor: 
Fernando Teixeira (PB)
Diretor e ator: Espedito Di Montebranco
Assistente de direção: Bruno Moser
Preparação Corporal: Chico Neller
Criação de cenografia e Iluminação: Espedito Di Montebranco
Operação de Iluminação: Stepheen Abrego
Criação Sonoplastia: Mestre Escurinho (PB)
Operação de Sonoplastia: Claudeir Dilly
Contra regragem: Jurema de Castro

Serviço:
Onde? Teatral Grupo de Risco, na Rua José Antônio, 2170
Quando? De 15 a 19/01 e 22 a 26/01, de quinta à Domingo, sempre às 20h
A classificação indicativa é 10 anos e capacidade é de 80 lugares.