Elza Soares recebe 2ª dose da vacina contra coronavírus e lamenta mortes

A cantora Elza Soares, de 90 anos, anunciou nesta quinta-feira (4) que recebeu a segunda dose da vacina contra a Covid-19 no Rio de Janeiro

Carlos Yukio Publicado em 05/03/2021, às 07h58

- Elza Soares recebe 2ª dose da vacina contra coronavírus e lamenta mortes
"Meu coração está com vocês", afirmou. "Tomei a segunda dose. Queria comemorar, mas não seria justo."

Elza Soares, de 90 anos, anunciou nesta quinta-feira (4) que recebeu a segunda dose da vacina contra a Covid-19. A imunização da cantora ocorreu no Rio de Janeiro. Mesmo feliz por estar protegida contra a doença, ela lamentou as mortes causadas pelo coronavírus no Brasil, que já somam mais de 260 mil.

“Essa doeu! Não na carne, mas no peito”, afirmou nas redes sociais. “Doeu e dói quando penso nas pessoas que não terão a mesma chance de tomar a vacina a tempo. Quantas famílias sonharam com essa cena, mas não deu tempo. Meu coração está com vocês”, afirmou. “Tomei a segunda dose. Queria comemorar, mas não seria justo.”

A cantora havia recebido a primeira dose da vacina no dia 5 de fevereiro. “Com o coração cheio de esperanças, o braço pronto para receber a vacina em prevenção ao coronavírus, a bandeira do meu Brasil nas mãos, o pensamento em cada brasileiro que ainda aguarda sua vez chegar e sem furar a fila da vacinação”, escreveu a cantora na ocasião.

A cantora defendeu a vacina dizendo que toda a população precisa ser imunizada porque merece o direito à vida. Ela comemorou o feito da ciência que, menos de um ano depois do decreto de pandemia pela OMS (Organização Mundial da Saúde), presenteou a todos com a vacina para uma doença que matou tanta gente. “A ciência venceu o medo, o negacionismo e a desinformação.”

Nesta quinta, outros famosos também foram imunizados, porém a maioria recebeu a primeira dose. Entre eles, estavam a atriz Suzana Vieira, de 78 anos, o cantor e compositor, Caetano Veloso, também de 78 anos, e o cantor Paulinho da Viola, da mesma idade.

OMS Vacina Vacinação Coronavírus Covid-19 Pandemia Caetano Veloso