Camila Pitanga rebate acusações e reafirma que não está com coronavírus

Internautas especularam que diagnóstico de Malária foi forjado para que a atriz, contrária ao presidente Jair Bolsonaro, pudesse tomar hidroxicloroquina

Após afirmar que foi diagnosticada com malária nesta segunda (10), Camila Pitanga se tornou alvo de notícias falsas nas redes sociais. Internautas sugeriram que a atriz teria falsificado o resultado do seu exame de Covid-19, que deu negativo, segundo ela. Os mesmos afirmavam que a malária seria apenas uma “desculpa” para a artista utilizar cloroquina, medicamento indicado para o tratamento da Malária.

“Malandra é a Camila Pitanga que diz que pegou malária no Leblon para poder tomar cloroquina sem dar o braço a torcer”, afirmou um usuário no Facebook. Declaradamente contra o atual governo de Jair Bolsonaro, o mesmo que defende o uso de cloroquina para tratar sintomas de Covid, Camila Pitanga reafirmou, através da sua assessoria, que seu diagnóstico para o vírus deu negativo.

A Folha de São Paulo teve acesso ao resultado do exame e o laudo médico da atriz, que afirmam que ela e sua filha Antônia, contraíram malária após permanecerem em isolamento social na praia de Barra do Una, localizada na região de São Sebastião, litoral norte de São Paulo.

Segundo a agência Lupa, que também apurou tais informações, Pitanga está tomando cloroquina e primaquina para se recuperar. Desde o início da pandemia, o medicamento foi amplamente divulgado como a “cura do novo coronavírus” de forma dada como cientificamente incorreta.

Através das redes sociais, Camila Pitanga tem compartilhado informações sobre a malária e também sobre o tratamento com a cloroquina. “Há um protocolo e remédios cientificamente comprovados que tratam a malária. Os médicos são profissionais treinados que receitam o tratamento. Não é achismo, nem ilusão, nem um teste, são fatos, repito, cientificamente comprovados por profissionais competentes em suas áreas de atuação.”

Há tratamento, mas não há vacina, então a melhor forma de se prevenir quando estiver em área principalmente de Mata Atlântica é usando repelentes, mosquiteiros, roupas que cubram ao máximo a pele e principalmente preservando o meio ambiente”, afirmou Pitanga.

cloroquinaCoronavírusCovid-19CuraFacebookInstagramIsolamento SocialJair BolsonaromaláriaMata AtlânticaMedicamentoMeio AmbientePandemiaSão PauloVacina