Aos 17 anos, Fabrício tira nota 1000 na redação da UFMS e colhe frutos de dedicação à pesquisa

Com apenas 17 anos e um histórico impecável nas pesquisas acadêmicas, Fabrício Pupo Antunes conquistou a nota 1000 na redação do vestibular da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS). O estudante, de Campo Grande, ficou entre os nove candidatos que tiraram nota máxima após muitos anos de esforço na iniciação científica. Apesar do […]

Nathália Rabelo Publicado em 25/02/2021, às 17h53 - Atualizado às 18h02

Fabrício gabarita redação da UFMS (Foto: Arquivo Pessoal) - Fabrício gabarita redação da UFMS (Foto: Arquivo Pessoal)
Fabrício é um dos 9 candidatos que gabaritaram a redação da universidade

Com apenas 17 anos e um histórico impecável nas pesquisas acadêmicas, Fabrício Pupo Antunes conquistou a nota 1000 na redação do vestibular da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS). O estudante, de Campo Grande, ficou entre os nove candidatos que tiraram nota máxima após muitos anos de esforço na iniciação científica.

Apesar do amplo conhecimento e experiência em outros processos seletivos, Fabrício disse ao MidiaMais que ficou bem nervoso no momento da prova. Contudo, ver o tema da redação foi o suficiente para encorajá-lo.

O tema da redação foi: As possíveis razões para manifestações de intolerância, suas características e algumas de suas consequências para a sociedade como um todo.

“O tema me motivou para escrever porque eu tenho trabalhos em iniciação científica envolvendo gênero e sexualidade, então toda a minha trajetória contribuiu para o meu processo do desenvolvimento da escrita. ”, explica o estudante.

Ele também conta que citou a pensadora Judith Butler, uma das autoras que utiliza em seus trabalhos. A filósofa norte-americana é uma das principais pesquisadoras do feminismo e teoria queer da atualidade. Todo esse empenho rendeu a nota máxima na redação da UFMS. Além disso, Fabrício foi um dos poucos participantes que alcançaram essa conquista.

De acordo com as informações da Fundação de Apoio à Pesquisa, ao Ensino e à Cultura (FAPEC), 14.597 candidatos fizeram a prova. Desse total, apenas nove gabaritaram a redação, sendo Fabrício um deles.

Fabrício tira 1000 em redação sobre intolerância (Foto: Arquivo Pessoal)

Gratidão e orgulho

A família sentiu muito orgulho da nota. Os pais proporcionam todo o apoio para que Fabrício faça os vestibulares e atinja seu sonho, razão pela qual compartilharam várias emoções nesse período.

“Eles ficaram muito orgulhosos, comemoraram bastante. Eles também ficam muito tensos e ansiosos por causa de todo esse processo”, comenta.

O jovem ainda afirma que tudo que conquistou foi em razão da família, escola e da professora de redação. Apesar de enxergar o próprio mérito, entende que sua realidade é muito diferente da maioria dos jovens brasileiros que não tiveram as mesmas oportunidades.

“Eu sou um aluno que estudou a vida inteira na escola particular e que mesmo com a pandemia do ano passado, conseguiu ter aulas online todos os dias”, explica o jovem de maneira consciente.

Iniciação científica

Fabrício carrega um nome que já está sendo reconhecido no Brasil. Ele estava apenas no 7º Ano do Ensino Fundamental quando entrou para o universo da iniciação científica, em 2015.

No começo, os estudos eram voltados ao campo da Engenharia. Porém, logo Fabrício reconheceu que sua preferência era a área de Humanas. A partir de então, se empenhou nos estudos e desenvolveu pesquisas sobre gênero e sexualidade.

Pesquisa oportunizou palestras e seminários para Fabrício (Foto: Arquivo Pessoal)

“A partir do 9º Ano comecei a ganhar destaque nas feiras de ciência e nesses ambientes que conectam os jovens com as universidades. Consegui alcançar importantes prêmios e contatos”, revela o estudante. Além disso, Fabrício ganhou destaque e visibilidade no Brasil devido à sua pesquisa.

Questionado sobre o que serviu de inspiração para estudar o assunto, o jovem explica que desejava abordar sobre um problema que acometia a sociedade.

E, no próprio ambiente escolar, percebeu episódios de preconceito com outros alunos. A partir de então, gênero e sexualidade se tornou o seu foco de pesquisa. “Decidi que precisava fazer algo a respeito”, disse.

Planos para o futuro

Agora que já conseguiu o tão sonhado mil na redação da UFMS, Fabrício explica que está esperando o resultado de outros vestibulares.

Fez 6 provas no total, sendo uma delas o Enem. Mesmo com ótimos resultados até então, ele está focado em passar na Universidade de Brasília (UnB). “É importante também visitar outros espaços para além da UFMS”, comenta o estudante.

Fabrício foi bem na prova da UFMS, mas considera que as questões não tenham sido tão acessíveis a todo o público. Apesar disso, achou o tema da redação necessário.

“Traz uma discussão importante e que ganhou força com as eleições de 2018. É um tema atual e que traz uma discussão bem relevante.”

Mato Grosso do Sul UFMS Enem Universidade vestibular Fapec mid1