Corinthians volta a mostrar fragilidade e perde para o Sport por 1 a 0, no Recife

O Corinthians perdeu para o Sport, nesta quinta-feira, por 1 a 0, na Ilha do Retiro, em jogo adiantado da 12ª rodada do Campeonato Brasileiro. Omisso, fraco, frágil e desesperado, o time de Parque São Jorge lembrou em alguns momentos a equipe que foi rebaixada para a segunda divisão em 2007.

O Sport, pelo contrário, colecionou a segunda vitória consecutiva sob o comando do técnico Jair Ventura e alcançou os 17 pontos, na sétima colocação, deixando o Corinthians com 12, em 13º lugar.

Para explicar o ritmo imposto pelas equipes no primeiro tempo podemos fazer uma analogia com os campeonato europeus. O jogo na Ilha do Retiro seria um carro comum, enquanto as disputas internacionais seriam os bólidos da Fórmula 1. Tal a falta de velocidade nas jogadas de ataque. Com isso, as melhores oportunidades surgiram apenas em lances esporádicos e chutes de longa distância.

O Corinthians teve três minutos de bom futebol, mas logo voltou a demonstrar a lentidão característica de seu meio-campo. O experiente Thiago Neves percebeu a situação e passou a dominar o setor. O meia, enquanto teve fôlego, tentou dois chutes de longe e um deles resvalou na zaga corintiana e sobrou para Lucas Mugni bater de voleio. Cássio fez boa defesa, aos 13 minutos. Aos 22, foi a vez de Ricardinho arriscar de muito longe, obrigando o goleiro corintiano a nova defesa importante.

Ao contrário de outros jogos, o lado forte do Corinthians foi o esquerdo com Lucas Piton, que tentou um chute de fora da área e fez bom cruzamento para Jô finalizar para fora. Foi também do lado esquerdo, que Jô deu um belo passe de calcanhar para Everaldo emendar de fora da área e acertar a trave direita de Luan Polli, aos 32 minutos.

Apesar do fraco desempenho dos times, o Sport foi quem pelo menos tentou mais nos primeiros 45 minutos e merecia a vantagem, que veio aos 36 minutos, quando o zagueiro Iago Maidana converteu um pênalti, no qual Everaldo desviou com o braço um chute despretensioso de Jonatan Gomez.

Daí até o fim da primeira etapa, o Sport deu a bola para o Corinthians, que, sem nenhum criatividade ou habilidade, não soube o que fazer com ela.

No segundo tempo, o Corinthians voltou com Luan e com a iniciativa do jogo. Apesar de mais veloz, o time de Dyego Coelho mostrou a mesma falta de técnica para furar a defesa do time pernambucano, que buscou os contra-ataques e teve as melhores chances com Jonatan Gomez e Thiago Neves.

Coelho resolveu fazer três alterações para dar mais agressividade ao Corinthians. Entraram: Ramiro, Cantillo e Léo Natel. Mas não deu certo. Foram raras as vezes que o time chegou na área adversária e quando chegou Fagner falhou no cruzamento.

O Sport, então, passou a administrar a posse de bola e, em muitos momentos, o Corinthians ficou como “bobinho” correndo atrás da bola sem conseguir pegá-la. Para não dizer que o time de Parque São Jorge não conseguiu chegar perto da meta pernambucana, Jô “acordou” aos 42 minutos, mas cabeceou mal. Na sequência, Luan, apagado no jogo, tentou de longe, mas Luan Polli defendeu.

O Corinthians volta a jogar daqui uma semana, quando vai enfrentar o Athletico-GO, na Neo Química Arena, enquanto o Sport joga dia 4, em Salvador, contra o Bahia.

 

FICHA TÉCNICA

 

SPORT 1 X 0 CORINTHIANS

 

SPORT – Luan Polli; Patric, Iago Maidana, Adryelson e Sander; Marcão Silva, Ricardinho, Thiago Neves (Bruninho), Lucas Mugni e Jonatan Gomez (Marcos Serrato); Hernane (Rogério). Técnico: Jair Ventura.

 

CORINTHIANS – Cássio; Fagner, Gil, Danilo Avelar e Lucas Piton; Xavier (Cantillo), Roni (Ramiro), Otero e Mateus Vital (Léo Natel); Everaldo (Luan) e Jô. Técnico: Dyego Coelho.

 

GOL – Iago Maidana aos 36 minutos do primeiro tempo.

 

ÁRBITRO – Wilton Pereira Sampaio (GO).

 

CARTÕES AMARELOS – Danilo Avelar, Everaldo, Jonathan Gomez, Sander, Marcos Serrato, Fagner e Cássio.

 

RENDA E PÚBLICO – Jogo disputado com portões fechado.

 

LOCAL – Ilha do Retiro, Recife.

BahiaCampeonato BrasileiroCorinthiansFórmula 1FutebolGolPodemosRecifeSalvadorTimesVitória