Corinthians vence Mirassol e chega à 4ª final seguida do Paulistão

Alvinegro espera vencedor de Palmeiras e Ponte Preta

De quase eliminado a finalista e postulante ao tetracampeonato inédito. A história do Corinthians no Campeonato Paulista de 2020 ganhou mais um capítulo neste domingo com a vitória por 1 a 0 sobre um surpreendente Mirassol na semifinal do Estadual. Éderson fez o gol da classificação em Itaquera.

Os duelos de ida e volta da grande final estão marcados para quarta-feira e sábado, contra o vencedor do confronto entre Palmeiras e Ponte Preta. Se o rival avançar, a decisão será disputada no Allianz Parque. Caso contrário, na Arena Corinthians.

O resultado positivo confirma uma grande reação do Corinthians após a parada forçada pela pandemia do coronavírus. Desde a retomada, o time do técnico Tiago Nunes venceu as quatro partidas disputadas sem nenhum gol sofrido.

O Mirassol, por sua vez, se despede da competição de forma muito honrosa. Não foi desta vez que o time do interior conseguiu vencer o gigante da capital nem chegar a uma inédita decisão do Paulistão, mas a garotada comandada por Ricardo Catalá mostrou novamente brio e qualidade. Depois de perder oito titulares durante a quarentena e eliminar o favorito São Paulo na fase anterior, a jovem equipe proporcionou um jogo parelho durante boa parte do tempo e valorizou a vaga do Corinthians na final.

O JOGO

O técnico Tiago Nunes aprovou a escalação utilizada nas quartas de final e repetiu a equipe que havia vencido o Red Bull Bragantino por 2 a 0. Já Ricardo Catalá surpreendeu ao mandar a campo uma formação com três zagueiros, sacrificando o meia Kauan em relação à vitória por 3 a 2 sobre o São Paulo na fase anterior.

A estratégia se mostrou bem sucedida, pois o Corinthians não conseguiu converter os 70% de posse de bola em boas ações ofensivas e as equipes terminaram o primeiro tempo empatadas em finalizações: três para cada lado.

A primeira boa chance, inclusive, foi do Mirassol. Aos 13 minutos, Juninho cobrou falta com veneno e exigiu uma ótima defesa de Cássio. Apesar do susto, o lance teve lá o seu aspecto positivo para os corintianos, pois o goleiro afastou qualquer preocupação quanto a um incômodo na virilha manifestado durante o aquecimento.

O Corinthians só conseguiu chegar com perigo aos 25 minutos, aproveitando um dos raros momentos de desorganização da defesa visitante. Mateus Vital recebeu bom cruzamento de Carlos Eduardo e por pouco não abriu o placar, acertando a trave direita do goleiro Kewin. Pouco depois, em mais uma jogada de fundo, desta vez pelo lado direito, Éderson cruzou rasteiro e Jô “furou” ao tentar o desvio de calcanhar.

Após o intervalo, foi a vez de Kewin mostrar reflexo e bom posicionamento. Aos 8 minutos, Luan pegou a sobra dentro da área e finalizou de primeira, mas o goleiro apareceu bem, praticamente em cima da linha, para cortar a trajetória da bola entre o camisa 7 e a rede.

O Mirassol se fechava ainda mais e o Corinthians começava a gostar do jogo. Mas a história da partida mudou mesmo a partir dos 14 minutos, quando Juninho deu um pisão no tornozelo de Carlos Augusto e foi punido com o cartão vermelho.

A partir dali o Corinthians tomou ainda mais conta do campo de ataque e o Mirassol não conseguiu resistir por muito tempo, mesmo com muita dedicação. Aos 26 minutos, Éderson comprovou a boa fase e acertou um chute longo para abrir o placar, anotando o terceiro gol dele em três partidas consecutivas. Desta vez, o goleiro Kewin não teve a mesma eficiência, é bom salientar.

Luan ainda balançou o travessão aos 32 minutos, em cobrança fechada de escanteio desviada pela zaga. Janderson e Araos também voltaram a dar trabalho ao goleiro visitante, mas ficou por isso mesmo. Vitória pelo placar mínimo.

Campeonato PaulistaCorinthiansCoronavírusesp1GolPalmeirasPandemiaPISPonte PretaQuarentenaSão PauloVitória