Motoristas de aplicativo repetem protesto para Reinaldo baixar ICMS da gasolina

Revoltados com o preço dos combustíveis em Mato Grosso do Sul, motoristas de aplicativo fizeram protesto pelo 2º dia seguido para pressionar o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) a baixar o ICMS dos combustíveis. Para a gasolina, o imposto cobrado no Estado é um dos maiores do país: 30% – atrás apenas de Rio de Janeiro […]

Gabriel Maymone Publicado em 02/03/2021, às 10h52 - Atualizado às 15h48

Motoristas de aplicativo abasteceram R$ 0,50 para juntar notas fiscais e pedir redução do ICMS no Estado. (Foto: Henrique Arakaki, Midiamax) - Motoristas de aplicativo abasteceram R$ 0,50 para juntar notas fiscais e pedir redução do ICMS no Estado. (Foto: Henrique Arakaki, Midiamax)
Carreata até a governadoria já está marcada; Imposto de MS é um dos mais altos do país

Revoltados com o preço dos combustíveis em Mato Grosso do Sul, motoristas de aplicativo fizeram protesto pelo 2º dia seguido para pressionar o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) a baixar o ICMS dos combustíveis. Para a gasolina, o imposto cobrado no Estado é um dos maiores do país: 30% – atrás apenas de Rio de Janeiro (34%), Piauí e Minas Gerais (31%) e Maranhão (30,5%).

Desde ontem, grupos de motoristas de diversos aplicativos se organizam para abastecer R$ 0,50 em postos de combustíveis de Campo Grande. Então, as notas fiscais serão juntadas pelos organizadores do protesto, que irão protocolar, formalmente, um pedido de redução do imposto na governadoria, o que deve ocorrer na sexta-feira (05).

Além disso, no dia 17 de março, está prevista mobilização nacional em que os motoristas irão se reunir em todos os estados do país, inclusive em Campo Grande, onde farão carreata até a governadoria, para pressionar a redução do ICMS.

O valor cobrado pelo governo de Reinaldo faz com que os gastos com combustível minem a renda desses profissionais. É o caso de Tiago Ribeiro de Almeida, 33 anos, que tem no aplicativo 100% de seus ganhos mensais. “O imposto do Estado é um dos maiores do Brasil. Temos que protestar para pedir a redução do ICMS, não adianta só ficar na conversa”, declarou.

Tiago Ribeiro cobra ação dos motoristas contra imposto em MS. (Foto: Henrique Arakaki, Midiamax)

Para a motoristas Selda Beatriz, 54, a situação complicou, pois com os sucessivos aumentos no preço do combustível, sua renda caiu mais de 30%. “O imposto do MS não é caro, é caríssimo. Está subindo toda semana [preço dos combustíveis] aqui no Estado e prejudicou a gente”, comentou.

Um dos organizadores do protesto, Alfredo Orlando, 35, informou que está pleiteando uma reunião com algum representante do governo para pedir a redução nos impostos.

Alfredo é um dos organizadores do protesto. (Foto: Henrique Arakaki, Midiamax)

Mais reajuste…

A partir desta terça-feira (02) está em vigor um novo reajuste no valor da gasolina e do diesel nas refinarias, o 5º do ano. No primeiro caso, o aumento é de 4,8% e, no segundo, de 5%.

Isso significa uma alta de R$ 0,12 no preço da gasolina para R$ 2,60 por litro e um acréscimo de R$ 0,13 no diesel para R$ 2,71 por litro.

Motoristas se preparam para carreata no dia 17 até a governadoria. (Foto: Henrique Arakaki, Midiamax)

No ano, a gasolina já aumentou 42%, enquanto o diesel subiu 34% nas refinarias. Isso significou um avanço de 8,8% da gasolina nos postos de combustíveis no ano.

PSDB Mato Grosso do Sul Reinaldo Azambuja Protesto ICMS diesel Preço do Combustível Carreata cot1 Impostos