Após recorde de consumo em MS, Energisa pede que clientes declarem eletrodomésticos

Declaração serve para monitorar consumo para não sobrecarregar transformadores

Por conta das altas temperaturas que Mato Grosso do Sul tem registrado e a consequente alta no consumo de energia, a Energia, concessionária que administra a distribuição no Estado, pede para que os clientes declarem os eletrodomésticos para evitar problemas no transformador. 

Segundo o gerente de Construção, Manutenção e Distribuição (DCMD) da Energisa, Fernando Corradi, um transformador tem um limite de Kilovoltampere (kVA) para a região, de acordo com os equipamentos declarados pelas residências, comércios e indústrias que usam o transformador. 

Quando o consumidor pede uma nova ligação deve declarar os eletrônicos que serão usados no local. “Caso um novo equipamento comece a ser usado também deve ser declarado”, disse ele em coletiva de imprensa na tarde desta quarta-feira (7). 

Como exemplificado na imagem abaixo, se um transformador suporta um pouco mais da quantia de energia que aquele local exige. Conforme Corradi, caso mais energia comece a ser usada e não for declarada para que a empresa faça a manutenção do transformador, ele poderá sobrecarregar. 

“[…] aí é possível que tenha problemas, como falta de luz”, explicou sobre a importância de declarar o que está utilizando energia na residência. 

Para declarar novos eletrodomésticos, como ar-condicionado, geladeira, televisores, ventiladores, entre outros, o consumidor deve entrar em contato com a Energisa pelos canais de autoatendimentos (Gisa ou site) ou no telefone 0800 722 7272.

Segundo Fernando, não há relação entre o consumo de energia elétrica e o número de eletrônicos declarados. “O consumo e o valor da conta vai continuar o mesmo. […] é somente para termos  noção do que está utilizando energia”, explicou.

Consumo histórico

Mato Grosso do Sul registrou consumo de energia recorde na última sexta-feira (2). As informações foram divulgadas pela Energisa, que comunicou que a carga atingiu 1.170 megawatts (MW) no Estado.

Desse número, 45% do consumo foi de residências, 33% de estabelecimentos comerciais e 22% de locais industriais. Outro recorde registrado neste ano foi de fevereiro, quando a carga máxima registrada no sistema da concessionária atingiu 1.142 MV.

De acordo com Fernando, não há risco de falta de energia ou apagões por conta do aumento de consumo. “Não há nenhum risco de não atender a demanda. Nós estamos preparados para isso, hoje temos um sistema interligado com um nível de geração muito grande”, declarou. 

Segundo o gerente comercial da Energisa, Jonas Ortiz, esse aumento já é esperado todos os anos por conta das altas temperaturas. “Os meses de abril à junho são os que apresentam números mais baixos de consumo”, disse.

ConsumidorEnergia ElétricaEnergisafalta de energiaGisaMato Grosso do SulMáxima