Por poluir córrego utilizado em balneários, idoso é autuado em R$ 5,5 mil pela PMA-MS

Flagrado poluindo o córrego Betione e degradando matas ciliares, um propritário rural ,de 60 anos,foi autuado em R$ 5,5 mil pela PMA-MS.

Dândara Genelhú Publicado em 27/02/2021, às 12h30

Foto: Reprodução/ PMA-MS. - Foto: Reprodução/ PMA-MS.
Proprietário também causou degradação das matas ciliares do local

Flagrado poluindo o córrego Betione e degradando matas ciliares, um propritário rural, de 60 anos, foi autuado em R$ 5,5 mil pela PMA-MS (Polícia Militar Ambiental de Mato Grosso do Sul). A propriedade fica localizada em Bodoquena, a 265 km de Campo Grande.

As irregularidades ambientais foram descobertas durante vistoria da PMA-MS nas propriedades de Bodoquena, na última sexta-feira (26). Assim, foi constatado que o idoso havia construído um dreno que causava poluição no córrego.

A construção fazia a ligação de um açude com águas turvas pluviais, utilizada por animais da propriedade, ao córrego Betione que possui águas límpidas. Assim, houve alteração do curso d’água, que também ficou turva da sugeira. Este curso de água passa pelas terras do homem e outros locais, inclusive utilizados como balneários.

Além disto, o proprietário mantinha gado na área, causando degradação das margens do córrego e matas ciliares. De acordo com a equipe da PMA-MS, a situação acabava contribuindo com o assoreamento do córrego.

Então, o proprietário foi notificado a retirar o gado do local. Por fim, ele foi autuado administrativamente em R$ 5,5 mil e poderá responder por crime ambiental. A PMA-MS destaca que a pena é de um a três anos de detenção.

Mato Grosso do Sul Polícia Militar PMA Poluição Crime Ambiental Assoreamento