‘Estamos com bastante cautela’, diz secretária sobre retorno híbrido na rede municipal de Campo Grande

Enquanto a vacinação contra a Covid-19 segue em ritmo lento, a Semed (Secretaria Municipal de Educação) prepara o retorno híbrido das aulas na rede municipal de ensino de Campo Grande. “Estamos com bastante cautela nesse retorno para não precisar voltar atrás, como está ocorrendo em outros estados”, adiantou a secretária Elza Fernandes. A titular da […]

Gabriel Maymone Publicado em 19/02/2021, às 10h10

Secretária municipal de educação, Elza Fernandes. (Foto: Marcos Ermínio, Midiamax) - Secretária municipal de educação, Elza Fernandes. (Foto: Marcos Ermínio, Midiamax)
Escolas do município preparam plano de biossegurança para receber alunos ainda no 1º semestre

Enquanto a vacinação contra a Covid-19 segue em ritmo lento, a Semed (Secretaria Municipal de Educação) prepara o retorno híbrido das aulas na rede municipal de ensino de Campo Grande. “Estamos com bastante cautela nesse retorno para não precisar voltar atrás, como está ocorrendo em outros estados”, adiantou a secretária Elza Fernandes.

A titular da Semed disse, na manhã desta sexta-feira (19), que não bastam apenas os EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) para que haja esse retorno. “O essencial seria o retorno após a vacina, mas o principal é oferecer segurança não só para nossos alunos, mas também aos familiares deles e aos profissionais da educação”, declarou.

Atualmente, dos 13 mil profissionais que trabalham na educação, 2 mil são considerados do grupo de risco, segundo Elza. Assim, é necessário fazer a análise de tudo que será necessário para o retorno. A secretária informou que os primeiros que devem voltar são os alunos do 6º ao 9º ano. “São maiores, conseguem se cuidar melhor e observar os protocolos exigidos”, pontuou.

Treinamento de diretores

De quinta-feira (18) até a próxima terça-feira (23), diretores das 202 escolas municipais de Campo Grande participam de treinamento com técnicos da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) sobre critérios de biossegurança para evitar a disseminação do coronavírus.

Essa é mais uma das etapas de preparação para o retorno.

As escolas deverão elaborar um documento padrão de procedimentos operacionais, a ser validado pelo diretor escolar, tendo por base o plano de retorno das aulas presenciais na rede municipal.

No documento, deverão constar estratégias de limpeza e de desinfecção compatíveis, considerando a situação pandêmica, e as especificações apresentadas no plano de retorno das aulas presenciais. “A limpeza deve ser periódica, como sempre ocorreu nas escolas, ou seja, em cada período de aula, e também imediata, caso haja necessidade. As turmas não poderão se misturar, as atividades serão na sala de aula, inclusive a alimentação”, esclareceu Alessandra Lyrio, da Comissão Municipal de Controle de Infecção Relacionada à Assistência à Saúde da Sesau.

Podcast

Enquanto os alunos não retornam de forma presencial às escolas, a Semed anunciou o lançamento do aplicativo Rádio Reme , em que o estudante poderá ouvir um podcast das aulas gravadas pelos professores.

Além disso, também será possível tirar dúvidas com o professor através da plataforma. Isso já é possível através do WhatsApp, mas será mais uma forma de auxiliar os alunos nas aulas remotas.

As aulas remotas, na REME, tiveram início no dia 8 de fevereiro. O atendimento aos estudantes é feito com a utilização de plataformas tecnológicas, internet, televisão, rádio e cadernos de atividades impressos. As aulas vão continuar disponíveis, por meio da TV REME (canal 4.2 da TVE e Youtube), Rádio REME (aplicativo) e outros meios utilizados pelos professores e pelas unidades escolares (aplicativos de conversa com vídeos e áudios), conforme necessidade e adaptação de cada turma.

Professores Semed Sesau REME Vacina Vacinação Coronavírus Covid-19