Deputados cobram pagamento de emenda de R$ 22,8 milhões para Santa Casa de Campo Grande

O atraso no pagamento de emenda parlamentar de R$ 22,8 milhões à Santa Casa de Campo Grande foi tema de debate nesta terça-feira (2) na Alems (Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso do Sul). O repasse total é de R$ 45,6 milhões e uma parcela já foi liberada. A emenda é de autoria do […]

Adriel Mattos Publicado em 02/03/2021, às 14h45 - Atualizado às 14h56

(Foto: Arquivo/Midiamax) - (Foto: Arquivo/Midiamax)
Ministério Público também pediu que hospital agilize trâmites legais para liberação dos recursos

O atraso no pagamento de emenda parlamentar de R$ 22,8 milhões à Santa Casa de Campo Grande foi tema de debate nesta terça-feira (2) na Alems (Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso do Sul). O repasse total é de R$ 45,6 milhões e uma parcela já foi liberada.

A emenda é de autoria do deputado federal Luiz Ovando (PSL-MS), que cobrou celeridade no pagamento em publicação nas redes sociais, pedido este reforçado pelo deputado estadual Cabo Almi (PT) por meio de requerimento.

“Em meio a uma pandemia, com falta de vagas, estamos vivendo uma verdadeira loucura na área de saúde. Se R$ 22,8 milhões chegaram à prefeitura, a Mesa Diretora precisa verificar esse atraso. Eu me nego a acreditar!”, disparou.

A Mesa designou a Comissão de Saúde para checar a situação. Em seguida, o deputado estadual Lídio Lopes (Patriota) declarou que a Santa Casa deve apresentar plano de aplicação de recursos.

“A Santa Casa quer esse recurso para quitar dívidas. Aí o Ministério da Saúde não aceitou. O Ministério Público [do Estado] está cobrando esse plano de trabalho para liberar esse recurso”, justificou.

Outro lado

Em nota, a Santa Casa informou ao Jornal Midiamax que os recursos são parte de um socorro a hospitais filantrópicos do todo o Brasil, mas apontou que cabe à prefeitura agilizar o procedimento de liberação. 

A SCS (Superintendência de Comunicação Social) da prefeitura informou, em nota, que os recursos visam atender à média e alta complexidade, e a liberação realmente depende do plano de aplicação a ser elaborado pela Santa Casa.

“Em reunião na última semana junto ao Ministério Público do Estado, o hospital se comprometeu a apresentar o plano, sendo acordado também pelo município o repasse do montante de forma integral. Isso deverá ser feito até a próxima sexta-feira (5) após a publicação do termo aditivo e da prorrogação contratual”, diz o texto.

Alems PT Mato Grosso do Sul Santa Casa de Campo Grande Ministério da Saúde Deputado Federal Mesa Diretora Deputado Estadual Emenda Parlamentar Lídio Lopes PSL Cabo Almi Luiz Ovando Assembleia Legislativa