MS tem centro para monitoramento em caso de manifestação do vírus Chapare, informa SES

No entanto, Saúde diz que circulação do vírus ocorreu em 2019 e não há risco de transmissão na fronteira

Diante da descoberta de evidências da transmissão entre humanos do vírus Chapare na Bolívia, a SES (Secretaria de Estado de Saúde) informou que tem um centro onde é feito o monitoramento, em caso de manifestação da doença. O centro informou a cidade de Corumbá para ficar atenta a possíveis casos suspeitos. A secretaria ressalta que não foram registrados casos da doença neste ano, por isso não há riscos de transmissão nos municípios que fazem fronteira com o país vizinho. 

A secretaria explica que recebeu um comunicado do Ministério da Saúde informando sobre o estudo em que os cientistas descobriram o vírus Chapare, que pode ser transmitido entre humanos, após registros na Bolívia no ano passado. A SES reforça que foram somente cinco casos registrados no ano passado e não houve registro da doença no Brasil. 

O comunicado sobre o estudo foi feito ao CIEVS (Centro de Informações Estratégicas e Resposta em Vigilância em Saúde), que detecta, avalia e monitora informações sobre a prática de vigilância em saúde. Ou seja, o centro faz um monitoramento, criando meios de identificação e intervenção precoce nas emergências em saúde pública de relevância estadual e nacional, estimando o risco de expansão destes eventos. 

“Este Centro está disponível 24 horas por dia, todos os dias do ano, tornando-se a porta de entrada de notificações compulsórias imediatas da Secretaria de Estado de Saúde e consequentemente, a ponte entre o Estado e Ministério da Saúde”, informou a SES.

A secretaria explica que o comunicado do Ministério da Saúde sobre o vírus foi um procedimento padrão. O CIEVS encaminhou esse comunicado para a Vigilância do município de Corumbá para que a Rede de Saúde se atente para possíveis casos suspeitos que atendam à definição, assim como já existe uma lista de doenças sendo  monitoradas. A SES frisa que não há casos registrados da doença recentemente. 

Vírus Chapare

O vírus é transmitido por alimentos e água contaminados pela saliva, urina e fezes de ratos infectados. Também pode ocorrer a transmissão de humano para humano, conforme observado pelo estudo de cientistas do CDC (Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos).

O vírus Chaparre pode causar sintomas como febre, dor de cabeça, vômito, diarreia, dores nas articulações, erupções cutâneas e sangramentos nas gengivas – e pode levar à morte.

Bolíviachaparecot1Estados UnidosFronteiraMinistério da SaúdenotificaçõesSaúde Pública