CDL critica jovens e diz que ‘aglomerações irresponsáveis’ podem gerar desempregos

Comércio diz seguir regras, mas jovens em festas sem máscaras estariam aumentando casos em Campo Grande

Presidente da CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas de Campo Grande), Adelaido Vila criticou nesta quarta-feira (25) as festas com aglomerações de jovens sem máscaras que, segundo ele, estariam aumentando os casos de coronavírus na cidade. A entidade, junto com Abrasel, Semadur (Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano) e Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) se reuniram nesta manhã para definir possíveis novas medidas restritivas.

Nas últimas semanas, a quantidade de casos de Covid-19 tem aumentado em Campo Grande. Para Adelaido, não por ‘culpa’ do comércio, que pode ser o maior prejudicado neste período de fim de ano. “O varejo não é o responsável pelo aumento de casos. Isso é irresponsabilidade de determinadas pessoas. Estamos em pandemia e precisamos tomar medidas de segurança. Mas os jovens estão fazendo festas, aglomerações em festas ilegais, não estão adotando medidas de segurança e podem prejudicar a para todos”, disse.

“Nós estamos fazendo o dever de casa e por conta de alguns irresponsáveis podemos pagar caro, com perda de empregos, demissões, falência. E isso nos preocupa muito”, pontuou antes da reunião.

Titular da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), José Mauro não descartou o retorno de medidas restritivas como o toque de recolher, mas disse que “ainda é necessário ter mais informações para avaliar se é uma tendência ou se é uma situação pontual”.

O número de novos casos confirmados de coronavírus tem aumentado no último mês e disparou na última semana epidemiológica na macrorregião de Campo Grande. Somente entre os dias 15 e 21 de novembro, foram registrados 2.977 novos casos, o que equivale a uma média de 425 casos por dia ou 17,7 casos por hora. O aumento foi de 59,7% em comparação com a semana anterior.

Segundo informações divulgadas pelo Governo do Estado, foram 2.977 novos casos registrados na macrorregião de Campo Grande na última semana epidemiológica. O número representa um aumento expressivo, já que na semana anterior foram registrados 1.863 novos casos.

O alerta pede que a população continue com o uso de máscaras e mantenha medidas de higiene. Além disso, é essencial evitar aglomerações, saídas de casa e contatos desnecessários.

cot1