Bandeira do Brasil em MS: de símbolo do patriotismo a ‘racha’ político

Após 131 anos, cores da bandeira são usadas como divisão entre grupos políticos

Comemorado neste dia 19 de novembro, o dia da bandeira segue celebrado com solenidade de hasteamento entre os militares. No Forte Pantanal, em Campo Grande, generais lembraram a representação simbólica da Bandeira Nacional. Nos últimos anos, o símbolo do patriotismo brasileiro virou protagonista de grupos políticos e “racha” entre brasileiros.

O CMO (Comando Militar do Oeste) hasteou a bandeira nacional às 12h com presença de oficiais do Exército Brasileiro, que relembraram a importância do símbolo para as tradições. “A bandeira não é só um pedaço de pano, mas um símbolo. Por isso, neste dia nós temos que refletir, olhar para o passado e para o que estamos fazendo no presente”, afirmou o general Fernando José Sant’ana Soares e Silva.

Durante a solenidade, bandeira velhas consideradas inservíveis pelos militares foram queimadas, e outras novas doadas a escolas. “Temos a obrigação de levar para o futuro um país melhor do que recebemos, é isso que pede nossa bandeira”, destacou Soares e Silva.

Apesar da instituição nacional em 1889, quatro dias depois da Proclamação da República, atualmente as cores e formatos da bandeira “verde e amarela” ganharam outras simbologias ao longo desses 131 anos.

Em dias de jogos da seleção brasileira de futebol, com destaque para os da Copa do Mundo, vestir as cores da bandeira do Brasil ainda eram sinônimo de unificação, mesmo que por outro objetivo.

Nos últimos anos, com força maior após as eleições para presidência da república de 2018, a bandeira do Brasil vem sendo usada como sinônimo de divisão entre pensamentos políticos, após a apropriação, principalmente, por partidos e líderes políticos considerados de direita no País através da utilização de suas cores no uniforme da seleção de futebol.

CMOCopa do Mundocot1Exército BrasileiroFutebolPantanalSeleção Brasileira