Janeiro de 2019 teve 2.338 notificações de dengue em Campo Grande

No mesmo período do ano passado, foram 374 comunicados, ou seja, um aumento de 525%

A Sesau revelou na manhã de hoje (6) que somente no mês de janeiro deste ano foram notificados 2.338 casos de dengue. No mesmo período de 2018, um levantamento apontou que foram 374 comunicados, ou seja, houve um aumento de 525%.

O órgão também divulgou que em 2019 foram notificados 45 casos de zika e outros 40 de chikungunya. Em 2018, foram 27 de chikungunya e 22 de zika.

No último LIRAa (Levantamento de Índice Rápido para Aedes Aegypti), realizado no período de 14 a 18 de janeiro, foi apontado que 91,3% dos extratos da pesquisa tiveram IPP (Índice de Infestação Predial) está acima do recomendado pelo Ministério da Saúde, que é de 1%.

Para conter esse avanço da doença e proliferação do Ades Aedes Aegypti, a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) fará um mutirão para identificar criadouros e focos do mosquito em todos os imóveis da Capital, no período de 11 a 22 de fevereiro. Segundo o órgão, para realizar a força tarefa, foram convocadas todas as Equipes de Atenção Básica e de Vigilância em Saúde.
A convocação foi publicada na edição desta quarta-feira (6) do Diogrande.

Por meio de nota, a Sesau revelou que conta com 198 equipes nas unidades básicas de saúde (UBS) e de saúde da família (UBSF), aproximadamente 3.280 profissionais, entre agentes comunitários de saúde, enfermeiros, técnicos de enfermagem e médicos, e de 426 agentes de combate de endemias.

Durante o trabalho, os profissionais devem vistoriar todos os imóveis e orientar moradores, fazer a busca ativa para eliminar criadouros do mosquito que transmite a dengue, zika e chicungunha.

Aedes aegiptycasosdenguefocosmosquitoMutirãonotificações