Senado faz audiência sobre o avanço do plantio de soja no Pantanal e Bonito

Debate foi proposto pelo senador Pedro Chaves (PSC-MS)

Ambientalistas e senadores discutem, em audiência pública da Comissão de Meio Ambiente, nesta quarta-feira (21), o avanço da soja na região do Pantanal . O debate foi proposto pelo senador Pedro Chaves (PSC-MS).

“Temos uma preocupação muito grande com esse avanço que compromete a fauna e flora. É importante que coloque limite. Mas não quero julgar precipitadamente. Essa audiência é para reunir o atores: os ambientalistas e os ruralistas para que haja esse encontro saudável e possamos ver o ponto de equilíbrio em ambos”, disse em entrevista à TV Câmara. 

O avanço da agricultura em direção ao Pantanal de Mato Grosso e de Mato Grosso do Sul contribui com o processo de assoreamento dos rios. Para o senador, o descontrole da agricultura já ameça também a região de Bonito.

“O plantio de soja tem de ter limite. Quando você planta soja no Planalto, coloca defensivos agrícolas. Vem a chuva e  inevitavelmente [os defensivos] corre para a Planície, que é o Pantanal”, afirmou. “O Rio Formoso, o Rio da Prata que tinha uma coloração translúcida limpa está começando a ter manchas escuras. Isso decorre do, meu ponto de vista, da agricultura em lugares indevidos”, explicou Chaves. 

Foram convidados para o debate Roberto Klabin, presidente do Instituto Socioambiental da Bacia do Alto Paraguai SOS Pantanal; Ricardo Eboli, diretor de Licenciamento Ambiental do Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul; e Luiz Ribas, diretor da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso. Também devem participar Ângelo Rabelo, presidente do Instituto Homem Pantaneiro, e Lucas Galvan, diretor da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul, além de um representante do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

 

Bonitodano ambientalPantanalPantanalsenadosenado