Alvo de ação da PF, advogado de Lula acusa Lava Jato de ‘retaliação’

Cristiano Zanin esteve entre os 50 alvos de mandados de busca e apreensão expedidos pela PF hoje

O advogado Cristiano Zanin acusou a força-tarefa da Operação Lava Jato de retaliação contra ele, após a Polícia Federal deflagrar na manhã desta quarta-feira (9) a “Operação E$quema S“. A ação investiga possíveis desvios, entre 2012 e 2018, de cerca de R$ 355 milhões das seções do Rio de Janeiro do Sesc, Senac e Fecomércio a escritórios de advocacia.

“Era óbvio que a Lava Jato iria promover alguma retaliação contra mim, afinal, nos últimos anos atuei incessantemente para desmascarar seus abusos. A invasão da minha casa e do meu escritório será por mim denunciada em todos os foros para que os responsáveis sejam punidos”, afirmou, pelo Twitter, Zanin, conhecido por advogar para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na Lava Jato.

Enquanto defensor de Lula, o advogado acusa a Lava Jato de ter cometido uma série de ilegalidades no processo que condenou o ex-presidente petista à prisão em abril de 2018.

Zanin esteve entre os 50 alvos de mandados de busca e apreensão expedidos pela PF hoje, que também incluem o advogado Frederick Wassef, que já defendeu o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), e a advogada Ana Tereza Basilio, que representa o governador afastado do Rio, Wilson Witzel (PSC). De acordo com o Ministério Público, Sesc, Senac e Fecomércio fluminenses teriam destinado mais de 50% do seu orçamento anual a contratos com escritórios de advocacia, em esquema que teria sido liderado por Zanin, entre outros denunciados.

O advogado de Lula se defendeu das acusações em uma segunda mensagem nas redes sociais. “Na guerra jurídica travada entre duas entidades privadas, a Fecomercio/RJ e a CNC, temos 12.474 horas de atuação, cerca de 1.400 petições e 77 profissionais envolvidos apenas no nosso escritório, tudo lançado em sistema auditado”, publicou Zanin.

AdvogadoEx-presidenteFecomércioFlávio BolsonaroFrederick WassefLulaOperação Lava JatoPolícia FederalPSCWilson Witzel