Midiamax
BUSCA: 
 Capa

 Últimas Notícias

 Pimenta no Reino

 Transparência

 Política

 Polícia

 Emprego

 Tecnologia

 MidiaMAIS

 Esportes

 Geral

 Mundo

 Brasil

 Agronegócio

 Economia

 Cultura

 Cinema

 Entretenimento
Articulistas



Blogs
 Fernando Soares
Mais Lidas
01 Depois da morte do pai, jovem descobre Fusca misterioso, conhecido como "Afrodite"

02 Capital terá novo shopping com padrão sofisticado e parque linear na Gury Marques

03 Azambuja promete auditoria e não descarta possibilidade de vender Aquário do Pantanal

04 FLAGRA: congestionamento chega a 5 quilômetros com remoção de veículos em BR

05 Motociclista é jogado para o alto e cai na base de torre de alta-tensão após colisão na Guaicurus

Espaço do Leitor
Espaço do leitor
Acesso Fácil
Faça da Midiamax sua página inicial

31/08/2010 16:51

Tribunal do Júri condena último acusado no "Caso Dudu" a mais de 24 anos de prisão

Aumentar texto Diminuir texto

Liziane Berrocal

O corpo de jurados do tribunal do Júri condenou Holli Lee de Souza (22), a 24 anos e 10 meses de prisão. O julgamento terminou há pouco. Ele é um dos acusados de matar o menino Luiz Eduardo Gonçalves.

A defesa alegou que o réu não poderia ser condenado, pois tem problemas mentais, tese que não convenceu os jurados.

Para Roberto Gonçalves, pai de Dudu, a condenação traz sensação de justiça, porém ele garante que o sofrimento da perda do filho nunca terá fim.

"Agora só quero enterrar os restos mortais dele. Mas justiça? Eu espero a de Deus.", disse com lágrimas nos olhos.

Apesar da condenação Eliane Martins acredita que a justiça não será total.

"Ainda tem os menores que já estão soltos. Agora só quero dar um enterro digno para o meu filho", afirmou.

A entrega simbólica de uma urna com os restos mortais de Dudu foi feita aos pais e amanhã será feita uma cerimônia oficial. A família pretende fazer um velório na casa do pai do menino e o enterro será no cemitério Memorial Parque.

O promotor Douglas Oldergado disse que o enterro da urna encerra o caso.

"Amanhã seu filho será enterrado como cristão e esse caso será encerrado", bradou durante o julgamento.

Acusação

Na noite do dia 22 de dezembro de 2007, na avenida Rachel de Queiroz com a rua Damianópolis, no bairro Aero Rancho, o acusado Holly Lee de Souza e os adolescentes E. S., J. A. E. R. e J. T. S., agindo a mando de José Aparecido Bispo da Silva, teriam agredido Dudu a socos e pontapés, causando-lhe diversos ferimentos.

Em seguida, Holly e os três adolescentes teriam levado o menino até a residência do mandante, localizada no mesmo bairro. Eles entregaram a vítima a José Aparecido, que também a agrediu com socos e chutes. Em seguida, o garoto foi levado a um local conhecido como “mangal” ou “cemitério dos cachorros”, sofrendo mais agressões. O menino não resistiu à violência e morreu.

Os acusados teriam colocado a vítima em sacos plásticos e levaram até um terreno baldio. Passados alguns dias, retornaram ao local, desenterraram o corpo, cortaram em vários pedaços, inclusive os ossos e atearam fogo, antes de enterrar os restos mortais. O motivo seria José Aparecido querer se vingar da mãe do garoto, em razão do fim do relacionamento conjugal.

O pai de Holly Lee, Pedro José de Souza, 50 anos, disse que na época do crime seu filho fazia tratamento psiquiátrico e estava afastado do quartel. Ele acredita que Holly Lee não tem participação na morte de Dudu e que não tinha relações de amizade com José Aparecido.

Para o pai de Dudu, Roberto Gonçalves, o principal acusado do crime já foi condenado, mas ele poupa os adolescentes. "Eu não culpo os meninos, mas tudo isso é muito confuso. Agora quem tem que trabalhar nesse caso é somente a justiça, nem eu que sou o pai do Dudu e sofro mais com isso, posso acusar qualquer pessoa".

Hoje à tarde, por volta das 15 horas, será liberada para a família a urna contendo os restos mortais de Dudu. O velório deve ser feito na casa da família, e o sepultamento está previsto para ocorrer no cemitério Memorial Park.



Comentários (0)

 
Deixar comentário

Outros destaques regionais

26/11/2014
13h28 Azambuja promete auditoria e não descarta possibilidade de vender Aquário do Pantanal
25/11/2014
16h51 Quatro horas de chuva causam transtorno a moradores, alagamentos e quedas de árvores
08h21 Em virtude do atraso diário de ônibus, moradores temem perder emprego na Capital
24/11/2014
10h25 Moradores dizem que casas populares teriam sido trocadas por carros e outras alugadas
22/11/2014
18h03 Contido pelos bombeiros, marido é suspeito de atear fogo na casa da mulher no José Abrão
10h32
Ladrões armados com pistolas rendem funcionários e levam dinheiro de distribuidora na Capital
10h07
Empresário de transportadora usava veículos da empresa para fazer tráfico de drogas em MS
09h44
Médico e irmã de 73 anos são assaltados na porta de casa e perdem joias, celulares e dinheiro
Charge do dia
Charge